Hospital do Câncer de Alfenas marcou presença na Femagri

18 de fevereiro de 2020

Os últimos três dias foram de intenso movimento por toda a área da Feira de Máquinas e Insumos Agrícolas, a Femagri, de Guaxupé. A feira, que começou na quarta-feira, se encerrou na sexta e recebeu a visita de mais de 30 mil pessoas. Entre os 120 expositores, que ocuparam uma área coberta de 107 mil metros quadrados, o estande do Hospital do Câncer de Alfenas também estava lá. Confortável e acolhedor, recebeu visitantes da Feira para momentos agradáveis de troca de informação com as pessoas sobre todos os trabalhos prestados aos pacientes de 26 municípios ao redor.Além de repasses do SUS, o hospital contou com a contribuição dessas comunidades onde estão os seus pacientes para prestar um bom trabalho. O estande teve como finalidade ser uma porta aberta à comunicação com as pessoas que também se mostraram receptivas e interessadas em conhecer o espaço.Toda a temática foi trabalhada em torno do cuidado que o hospital tem com os pacientes, com cada colaborador e a importância desse cuidado por parte de todos os que enxergam o seu semelhante. Sob esse prisma, trabalhou-se a mensagem “Cuidar do outro é cuidar de mim”, porque cuidar faz bem ao coração de quem cuida.E foi nesse clima de muita alegria e acolhimento que as pessoas se envolveram com a proposta. Adultos e crianças pararam para tirar fotos de jaleco e ouvir o coração uns dos outros junto com o “Doutor da Alegria”. A ação simbolizou o cuidado que se aprende desde pequeno, porque o outro é importante. Ajudar A profusão de sorrisos e poses para a fotos valeu propostas como: “Me dá um sorriso que te dou um abraço”, “Hoje o Hospital do Câncer está captando sorrisos; você pode contribuir?”. No fundo, a mais bela tradução de que, quem doa, o faz com alegria e que o paciente precisa dessa alegria, que também cura.Centenas de sorrisos foram captados pelas lentes do fotógrafo Rodrigo César. Abraços distribuídos, trocados e multiplicados entre visitantes do estande e o doutor da alegria “Paulo Língua de Trapo”, que não demorou nada para fazer discípulos. Dezenas de adultos e crianças querendo vestir o jaleco da Santa Casa como forma de expressar a sua vontade de contribuir. E com alegria.Para o coordenador de captação de recursos do Hospital do Câncer e organizador da ação durante a feira, Marcelo Dias, foi um momento dos mais oportunos de materializar esse contato com a comunidade. “O estande foi uma maneira de apresentarmos às pessoas um pouco do nosso trabalho e da nossa proposta em acolher e cuidar do paciente que chega para nós na oncologia. Foi emocionante ver a maneira como as pessoas receberam a nossa proposta e abriram os seus braços, vestiram a nossa causa, simbolizada pelo jaleco. Percebemos o carinho, a disposição dessas pessoas em estar próximas e ajudar, com seu abraço, com seu carinho, seu sorriso. Estamos indo embora com uma sensação muito boa de dever cumprido e a certeza de estarmos cada vez mais cercados por essa corrente poderosa da solidariedade e do calor humano. Nossos pacientes estão, sim, envoltos por muito cuidado”.