Edilson dá voto de confiança a diretoria

Edilson prevê reunião com gestores e dá voto de confiança para retomada do pagamento no Cruzeiro. Clube celeste tem de quitar, no dia 7 de fevereiro, a folha de janeiro de jogadores e funcionários

30 de janeiro de 2020

BELO HORIZONTE – Os remanescentes do Cruzeiro, do ano passado, convivem com um débito de folha salarial do clube desde o último trimestre do ano passado. A expectativa é de que os pagamentos futuros, de 2020, sejam acertados em dia. Na sexta-feira, dia 7 de fevereiro, vencerá a folha de pagamento de janeiro. Com um dos maiores salários do atual grupo, Edilson deu um voto de confiança ao conselho gestor.

Segundo o lateral, nenhum aviso sobre o pagamento da folha de janeiro foi dado, mas ele prevê que haverá uma conversa com quem administra atualmente a Raposa, nos próximos dias, para confirmar se haverá ou não o acerto. Além disso, Edilson deu um voto de confiança ao conselho gestor.

“Não foi passado para nós ainda. Mas esses gestores que chegaram agora passaram para nós uma credibilidade muito grande. Então a gente espera que daqui para frente as coisas caminhem dentro de uma normalidade que acontece no futebol e uma transparência. Acho que tudo que passou, de coisas ruins, ficaram para trás, até mesmo essas coisas dos salários atrasados. Acredito que a maioria já se reajustou ali para receber em outros anos. Eu, particularmente, não pensei em nada antes do jogo sobre isso daí. Claro que a gente vai voltar a conversar com eles para ver”, disse o jogador.

O Cruzeiro acumula débitos com jogadores de parte da folha de outubro, novembro e dezembro, além do pagamento de férias, 13º salário, FGTS e direitos de imagem. Muitos deles, por causa disso, entraram na Justiça ou resolveram deixar o clube.

Somente Fábio, Léo e Edilson (entre os “medalhões”) acertaram a continuidade, realizando uma pactuação dos débitos. Na prática, o salário deles não foi reduzido, mas o débito do passado e uma parte do salário que deveria ser paga no restante do contrato foram parcelados e começarão a ser pagos em maio de 2021.

“Uma reformulação muito grande, uma reconstrução. E todos que estão aqui sabem disso. Estão dispostos a ajudar, como os gestores, que não tinham nada a ver com a situação, eram torcedores. Pessoas que gostam do clube e estão colocando o dinheiro da empresa deles para poder nos ajudar. É um momento de reconstrução. De todo mundo pensar não só no dele. Que a gente possa ter um ano maravilhoso, diferente do ano passado, um ano de vitórias”, projetou Edilson, que vem sendo titular do time.