Do Leitor: ‘Paraiso’… Não é para todos’

13 de fevereiro de 2020

"Bem vindo, você chegou em Paraiso"!

Essas são as educadas e hospitaleiras palavras para quem chega em São Sebastião do Paraiso. Concordo: a limpeza, o clima, o nome da cidade e a pitoresca saudação de chegada, passa o sentimento de estar chegando numa cidade boa para se viver, com qualidade de vida universalizada.
Infelizmente, e mesmo sem " …acreditar que o mundo é perfeito e que todas as pessoas são felizes…", minha Paraiso não foge de algumas regras do Brasil. As pessoas das periferias são esquecidas e ignoradas. Não merecem a devida atenção e são sistematicamente vilipendiadas. Desculpem o trocadilho do título, mas parte da população vive à margem do progresso e com o IDH aquém do aceitável.

Refiro-me ao descaso que denunciei aqui na Folha em janeiro de 2019, por ocasião de visita ao meu irmão, que mora na Rua Vasilícia Maria de Oliveira, no Jardim das Acácias, próxima ao Pq Industrial Fernando Zanin. Nada mudou agora em janeiro de 2020. Não sei em outros pontos, mas essa rua continua barrenta, sem calçamento, completamente esquecida, exatamente igual desde a fundação do bairro há mais de 20 anos . Estranho, é a única rua nessas condições, todas as demais estão asfaltadas. É barro ou poeira, e fica em Paraiso.

Por que esses cidadãos são tratados com tanto descaso, desconsideração, negligência e diria mesmo, desumanidade? Por que não recebem tratamento digno nas suas mais básicas necessidades? Não pagam impostos como todos? É porque são de origem humilde? Mas não votam como os demais?

É muito agradável visitar o calçadão, a Fonte Luminosa, a Lagoinha, as Estâncias de Thermópolis e a Leão de Judah, o Museu da Estação Ferroviária e outros pontos turísticos de Paraiso mas…e as periferias são também bem cuidadas? E a rua Vasilícia?

Fica registrado aqui, mais uma vez, o pedido de ajuda – o asfaltamento da rua – dos moradores do local. Agora, Senhores e Senhoras, por favor, se puderem nos ouvir e explicar, a palavra está com vocês, os representantes do bem estar do povo paraisense.

 

Jorge Moreira Maciel – Passos/MG