Do Leitor: Moradores de Passos

4 de março de 2020

Já e passada a hora do Ministério Público ser devidamente provocado pelo povo de Passos legalmente representado, a fim de intervir na gravíssima situação das ruas da cidade. Trata-se de um momento sem precedentes uma vez que se acumulam inúmeros prejuízos financeiros e alguns físicos aos moradores desta cidade. A falta de respeito ao cidadão é explicita. Todas as reivindicações e protestos feitos sobre o tema não tiveram efeito e a administração permanece alheia a este e a tantos outros problemas. Que então doravante, a justiça seja a representante do povo.

Nossa esperança é de que por meio da força legal, (MP) o necessário seja feito, já que não se pode reconhecer a atual administração de Passos pelo comprometimento com os munícipes e nem pela competência no trato público.

Júlio Mattar – Passos/MG 

Florestas e empregos

Governo brasileiro pode e deve rever sua política em relação às florestas plantadas. Esse é o único setor que cresceu, impulsionou a balança comercial, gerou mais de meio milhão de empregos diretos, teve recordes em arrecadação de impostos, contribuiu para a fixação de carbono, conservação das matas nativas, proteção contra incêndios entre numerosos benefícios nos últimos anos. Alguns estados exigem licenciamento ambiental para o setor nos mesmo moldes de uma mineradora, como de alto índice poluidor, o que não condiz com a realidade, gerando custos e burocracias desnecessárias.

Por outro lado, existem linhas de crédito milionárias para os setores agrícolas e, apesar do setor já pertencer ao ministério da agricultura e pecuária e demandar longo prazo para o retorno do investimento, não dispõe de linha de crédito.

Governo federal e os governos estaduais precisam retribuir todo apoio que recebem do setor de florestas plantadas, principalmente a arrecadação gigante de impostos e agilizar essas fáceis e coerentes reivindicações que só beneficiam o Brasil.

Daniel Marques – Virginópolis/MG