Do Leitor: A derrota do documentário

17 de fevereiro de 2020

A derrota do documentário

O documentário Democracia em vertigem, que tem os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff como protagonistas, perdeu o Oscar 2020 para Indústria americana, da produtora do também ex-presidente Barack Obama. Não será surpresa se os repetitivos e fastidiosos petistas declararem que o resultado dessa ‘disputa presidencial cinematográfica’ também foi golpe. O PT, apesar dos seus 40 anos, já é um velho decadente, monocórdio e chato.

Túllio Marco Soares Carvalho – Belo Horizonte/MG

As nuvens e a política

“Quando o cotidiano surpreende, a notícia acontece”. O que significa que, no dia seguinte, quando acordamos sobressaltados pelo que aconteceu ontem, e no que vai acontecer hoje, é porque vimos uma notícia política. Vivemos dela! Principalmente nos pequenos municípios, como Jacuí. A expectativa que envolve o cidadão e a cidadã comum é aguardada e comentada aos quatro cantos da cidade e aos pés dos ouvidos. Em geral, sobre os políticos. Aquelas eternas promessas de campanha, aqueles comprometimentos, que aguçam nossa sensibilidade e nos enchem de esperanças para o bem e melhorias para o município e região. É o término de uma obra, é a chegada de uma indústria de pequeno e médio porte, é um equipamento de ponta para o Hospital (Posto de Atendimento), é obtenção de verbas para reformas de escolas, mais qualidade no serviço público com a criação de vagas de empregos. Jacuí já avançou muito em vários setores com a prestigiosa colaboração de líderes como o atual presidente do SEBRAE e ex – deputado federal Carlos Melles; Ex – deputado Geraldo Thadeu e Renato Andrade e o sempre presente conterrâneo Antônio Carlos Arantes. Entretanto, duas expectativas, ambas antigas, podem ter um final feliz para nossa gente: o término da BR 265 nos trechos entre Jacuí/ BJDP/ Alpinópolis – 07 km apenas; e a outra, o asfalto entre Jacuí e Fortaleza de Minas, antiga reivindicação, ligando a Passos, cidade polo da região (Faculdades e área médica). É aquela história do pensamento humano que tudo muda sem se mudar nada. É a habilidade de incendiar nossas esperanças de ver acontecer positivamente, independente de partidarismos. E nada melhor para definir e invocar o petitório às lideranças atuais da região, do que reviver uma das frases mais conhecidas sobre política do ex-Senador e ex-Governador mineiro José de Magalhães Pinto: Política é como nuvem. Você olha e ela está de um jeito. Olha de novo e ela já mudou. Vamos aproveitar o momento de brancas nuvens, antes de mudar? Com a palavra o Senador Rodrigo Pacheco – Bloco Parlamentar Vanguarda. Vice-Líder – DEM/MG. De Passos. Deputado Estadual Cássio Soares – Líder do Bloco Liberdade e Progresso (PSD). Também de Passos; Deputado Federal Emidinho Madeira – Comissão Permanente – Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural – Capadr. De Nova Resende. Deputado Estadual Antônio Carlos Arantes – 1º Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Legislativa de Minas Gerais – AL MG. De Jacuí.

Fernando de Miranda Jorge – Jacuí/MG