Dirigente ocupa tribuna e contratados pedem ajuda

1 de dezembro de 2020

Servidores foram pedir ajuda dos vereadores. / Foto: Divulgação

PASSOS – Num pronunciamento emocionado, que por duas vezes a levaram aos prantos, a presidente do Sindicato dos Empregados da Prefeitura de Passos – Sempre, Nelza Efigênia dos Santos, usou a tribuna livre da Câmara Municipal de Passos na sessão ordinária de ontem à tarde para um balanço de suas gestões nos últimos 16 anos à frente do sindicato.

Presidente do Sempre faz balanço de sua gestão. / Foto: Divulgação

Ela vai deixar o cargo neste mês de dezembro, quando assumirá o cargo partir de 1º de janeiro de 2021 o servidor e advogado Ramon Fernandes Oliveira. “Saio do Sindicato, mas não saio da luta”, afirmou, lembrando dos grandes embates que travou a favor dos servidores tanto junto ao Executivo quanto no Legislativo.

Passamos por quatro legislaturas nesta Casa, às vezes com duros embates em defesa dos interesses dos servidores e conseguimos lotar esse plenário com os servidores por várias vezes”, lembrou.

Nelza revelou que, há 16 anos, teve que assumir o sindicato com dívidas e hoje, além de ter saneados todas as contas do Sempre, o deixa com dinheiro em caixa e principalmente com a sua representatividade recuperada. Sobre o pronunciamento falaram os vereadores Rodrigo Maia, Alex Bueno, Téo Lemos, Eurípedes Cirilo e Isabel Ribeiro, que elogiaram a atuação de Nelza Efigênia à frente do Sempre.


Servidores

A direção da Câmara também abriu espaço para pronunciamento de representantes de cerca de 90 servidores que tiveram seus contratos encerrados com a Prefeitura de Passos. Um deles relatou uma série de problemas que estão sendo enfrentados e lembrou que não foram comunicados pela administração municipal como seriam substituídos no final da noite de ontem, com o fim do contrato de prestação de serviços.

O líder do prefeito na Casa, Téo Lemos, informou que fez um contato com o chefe do Executivo e que este estava ontem à tarde no Fórum de Passos para tentar uma negociação para uma prorrogação dos contratos. Recomendou aos servidores que, em caso o processo de demissão não seja revertido, que os servidores busquem os seus direitos na justiça.

A vereadora Aline Macedo também tratou da questão, prevendo sérias dificuldades para a escala de trabalho dos servidores que terão que ser demitidos e que a Prefeitura deixou para a última hora de resolver o problema como, por exemplo, a escala de vigias em equipamentos públicos.

Temos vários exemplos de prefeituras pelo Brasil afora que, devido a pandemia, conseguiram reverter essas demissões na justiça. A de Passos deixou para última hora e agora o problema existe e não há boa vontade de resolver”, criticou.

Vários servidores se manifestaram, relatando seus problemas que vão se agravar ainda mais se forem demitidos. A vereadora Isabel Ribeiro recomendou aos servidores fazerem uma manifestação junto ao Fórum de Passos para tentar sensibilizar os representantes do judiciário, já que os vereadores não poderiam fazer nada diante de um problema que se arrasta há anos. Como estava previsto na ordem do dia, os vereadores aprovaram vários requerimentos e projetos que estavam em pauta.

LEIA TAMBÉM: Bombeiros fazem visita especial a criança em Passos