Dia a Dia: Memórias de um menino

2 de janeiro de 2020

O Presépio é uma representação do nascimento de Cristo e sempre traz a manjedoura onde Jesus nasceu, juntamente com seus Pais José e Maria, os três Reis Magos e alguns animais. Recordo que em minha infância quase todas as famílias armavam o seu Presépio e a casa se enchia de ternura, parecendo mesmo um lugar sagrado. Hoje, existem Presépios de todos os tamanhos, jeitos e formas: de madeira, de barro, porcelana, escultura, pintura, tamanho grande, em miniatura…

Entre os vários Presépios que vi este ano em nossa cidade de Passos, dois deles me fez ficar mais admirado: Um deles é o Presépio que o Mozair Morais montou na Praça de São Francisco e que a cada ano vai se tornando uma referência de beleza em nossa cidade. O outro é o Presépio belo e muito criativo, com várias peças mecanizadas que o meu Amigo Iene Bonfim todo ano vem montando na entrada de sua casa. Parabéns meu amigo Iene, continue nos presenteando com essa simbologia que o Presépio carrega e completa as Festas Natalinas!

Nos tempos de minha infância e juventude nesta época Natalina, sempre me vem em mente a lembrança de dois Presépios também. Assim que entrei para aprender o ofício, isso lá nos anos 57 na Sapataria que ficava no porão em frente ao Passos Clube, nesta data a atração ali perto era o Presépio montado no “Gráfico São José”, por Celito e Otavio, da família Vasconcelos.

Os mais antigos devem se lembrar das filas que se formavam à noite pra ver esse Presépio. Desde essa época até alguns anos atrás, revisitava esse Presépio que era montado no hall de entrada da Casa da Cultura, que me remetia a lembranças de minha infância e de um presente que certa vez ganhei no dia de Natal: Estava eu com meus sete para oito anos e ganhei de Papai um presente que era uma novidade. Era uma bola dura de borracha que nos primeiros dias a guardei debaixo da cama e não partilhava com ninguém com medo dela estragar ou furar. Já cansados de jogar com as bolas improvisadas feitas de meias velhas socadas de retalhos, os colegas me convenceram a colocar essa bola na rotina dos nossos rachinhas. Essa nossa rotina só mudava quando as famílias transformavam as salas de visitas com a montagem de um presépio, e nós íamos de casa em casa, fazendo nossas conclusões de qual era o presépio mais bonito.

E outra lembrança é um Presépio que uma senhora que morava nos fundos da Capelinha da Penha armava em sua casa e que nos deixava fascinados com a criatividade e beleza: Gruta com pedras e matinhos, com cobertura de bambus, enfeitados por estrelas e anjos de papel colorido. Dentro da estrebaria, Maria e José, a manjedoura com o menino Jesus, vários animais, um caminho de areia e a estrela guia prateada com papel e um anjo mostrando o local aos três Reis: Belchior, Gaspar e Baltazar com seus camelos e os presentes.

E quando aquela senhora nos via chegar a sua casa, ia logo dizendo: “Vocês vêm só com os olhos e não com as mãos heim!”

Resgatar isso da memória é tão gostoso, o coração fica cheio de alegria em ver essa simplicidade e humildade de toda essa simbologia que o Presépio carrega!

E voltando ao Presépio montado durante anos no hall da Casa da Cultura, vinha observando que a cada ano que passava, as peças estavam diminuindo. Com essa tecnologia moderna que nos é proporcionada nos dias de hoje várias peças de seu mecanismo poderiam ser restauradas para um funcionamento melhor, mas o que aconteceu nos últimos foi a sua não mais montagem.

Que pena! Mas para mim a falta maior é a falta da presença do amigo Flamenguista Otavio Vasconcelos sentado em sua cadeira ao lado do seu Presépio. Todos os dias após o almoço eu mudava meu itinerário passando pela Casa de Cultura para desfrutar de sua boa prosa, sempre ali nos fazendo companhia o também saudoso amigo Sô Pedro Piantino, e o nosso papo sempre era falando do nosso Mengão, o mais querido do Brasil!

Enfim, convido a todos neste primeiro dia do ano, a agradecer a Deus por esse ano que passou, e pedir a Ele que nos proteja e ilumine neste ano que está nascendo, e que nos dê muita saúde, paz, e que a luz divina se acenda dentro de todos nossos corações. Feliz ano novo!
É o tempo passando e a gente “Memoriando!”