Dia a Dia: Ecologicamente falando…

9 de março de 2020

Informações que recebi de meu irmão, suboficial da FAB já na reserva e advogado atuante ainda. Cabe a cada um pesquisar e conferir a autenticidade das informações. Diz ele que há muitas informações nos sites militares.

“O governo criou recentemente uma comissão permanente de defesa da floresta em todos os níveis, defesa da fauna, da flora, da biodiversidade. Semana passada, o vice Mourão inaugurou um batalhão para lançar foguetes em uma base do Exército, em Goiás. Sutilmente mandou um recado para o Macron, da França, que queria invadir a Amazônia. Ele disse: ‘ –  Daqui eu acerto quem lá estiver.’  São 300 km de alcance. Interessante que, a Austrália foi queimada quase inteira e ninguém falou nada! É que lá não tem a biodiversidade da nossa região: as frutas, as plantas, a fauna, os rios, a riqueza das águas, o nióbio,  grafeno, o ouro, o diamante, o ferro, o níquel, o petróleo. É uma região que está sendo ocupada pelo governo brasileiro. Parece que não, mas está!

Esses países  colonizadores estão preocupados porque as ONGs estão na mira do governo como nunca antes estiveram. É tudo em silêncio, mas, pelo que converso com meus amigos da FAB, vários ainda na ativa, o Exército , a Marinha e a FAB, estão crescendo com a presença na região. Aliás, o Exército está alocando grandes bases de  helicópteros modernos, adquiridos; as mais modernas aeronaves de guerra, tudo lá na Região Amazônica, para proteger e fiscalizar a região. Tem helicóptero que, inclusive, se reabastece em voo, são os únicos na  América  do Sul que fazem isso nas Forças Armadas. Só que, isso não é muito difundido!

Se você entrar no YouTube, você verá bastante coisa lá sobre armamento das Forças Armadas em recuperação. O Batalhão de  Guerra na Selva, alguns batalhões lá na Amazônia, são os mais modernos do mundo, eles treinam até americanos, chineses e tantos outros na região. Só que não ensinam tudo, é que 90% dos integrantes são índios  e na selva ninguém se iguala a eles, sabem onde beber água, o que podem comer na mata e sobreviver, conhecem as plantas medicinais  que usam em machucados, sabem como se orientar na selva, sentem até o cheiro de cobras, sabem como caçar, fazer flechas, lanças. Já vi muitas reportagens sobre eles, estão no YouTube.

O governo está investindo muito lá, inclusive também por causa das fronteiras. Eu já tive a oportunidade de conhecer bastante a Região Amazônica, é um mundo à parte, muita riqueza e imensidão. Como já disse antes, muitas frutas, peixes, plantas medicinais, nióbio, grafeno, ouro, água, diamante, é uma riqueza enorme e todo mundo de olho, só que agora a coisa está mudando e quem aproveitava, estrangeiros, eles já sentiram que a coisa mudou e é por isso que estão usando essa menina inocente e para fazer campanha. Veja que o governo da Suécia mesmo, eu nunca o vi manifestar-se oficialmente. Alguns países se incomodaram  quando Bolsonaro assumiu e disse bem claro: “ – A Amazônia é do Brasil  e ponto final.” O Macron ameaçou, mas sentiu também que o Trump está com Bolsonaro. Trump   também criticou essa mocinha da Suécia.

 

Acredito que a adolescente cairá na real quando tiver mais conhecimento e amadurecer melhor.

 

A luta dela para salvar o mundo é louvável, mas, ela precisa inteirar-se melhor e não mais deixar-se levar por pessoas cujos interesses sejam escusos. É uma pena ver pessoas maldosas tirarem proveito da ingenuidade de uma jovem tão bem intencionada.”

Finalizando as informações que recebi, acrescento que não concordei com o presidente chamando a menina de “pirralha”. Não é palavrão, mas, é uma expressão inadequada. Ele tem a mania de falar “sem pensar direito” e também de responder “na lata”. É um vício, parece que incorrigível. Com o tempo veremos se ele se tornará um pouco mais “ameno, mais dócil”. Mas, também acontece que, certas pessoas que o provocam mereçam as respostas que recebem. Todavia, no caso aqui, ele poderia ter pegado mais leve. Afinal, ele sabia que ela está sendo usada inocentemente.

Por outro lado, alguém, outro dia, presenteou o jornal da Cultura com a seguinte frase: “Prefiro um presidente malcriado, que um presidente ladrão.” – Concordo, foi muito bem pensado!

 

LUIZ GUILHERME WINTHER DE CASTRO, professor de Oratória e de Técnica Vocal para Fala e Canto em Carmo do Rio Claro/MG – ex-professor do Ensino Técnico Comercial – formado no Curso Normal Superior pela Unipac.