Delações revelam esquema de propina

14 de dezembro de 2019

PASSOS – O Ministério Público do Estado de Minas Gerais, por sua Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público da Comarca de Passos, pela Coordenadoria Regional do Patrimônio Público do Sudoeste de Minas-Passos e por seu Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), núcleos Passos e Varginha, celebrou acordos de colaboração premiada com o sócio-administrador e funcionários da empresa Seleta Meio Ambiente Ltda, que figuram como réus nas ações penais decorrentes da operação que se denominou Purgamentum. Como condição dos acordos, os colaboradores Jorge Saquy Neto, Mateus Dutra Muñoz e Fabiano Eduardo da Silva se submeterão à pena privativa de liberdade de 8 anos e 6 meses em regime semi-aberto diferenciado, para o sócio administrador da empresa Seleta, e de 4 anos e 3 meses em regime aberto diferenciado, para os funcionários da empresa, além do imediato ressarcimento aos cofres públicos de R$10,5 milhões, já depositados em juízo