Coronavírus afeta universo tecnológico

15 de fevereiro de 2020

O mundo está em alerta com o coronavírus, que já afetou milhares de pessoas na China – mais de 44,6 mil pessoas foram infectadas, das quais mais de mil morreram. Com uma grande base de operações no país asiático, o mundo tecnológico também está sendo afetado. Fábricas estão paradas, lojas estão fechadas e funcionários não estão autorizados a realizar viagens.

Segundo relatório de especialistas do setor de celulares, as vendas de smartphones podem cair até 50% no primeiro trimestre de 2020, devido ao funcionamento interrompido de diversas fabricantes no período. Ainda de acordo com o relatório, o lançamento de novos produtos também pode ser afetado caso as fábricas continuem fechadas.

Algumas das principais empresas do setor, como Apple e Google, estão entre os afetados. A seguir, veja como o coronavírus está impactando essas companhias e o que elas estão fazendo para lidar com o problema:

 

Apple – O presidente executivo da Apple, Tim Cook disse que a companhia tem fornecedores na região da China em que o coronavírus começou a se espalhar. Cook afirmou que a empresa tem fontes alternativas para esses componentes e disse que a empresa “está trabalhando em planos para compensar qualquer perda de produção.”

Depois do fechamento de uma loja, na semana passada, por conta da doença, a Apple decidiu aplicar a medida para todos os seus estabelecimentos no país, segundo a agência de notícia Bloomberg. De acordo com as informações, escritórios, lojas e centrais de contato estarão fechadas até o dia 9 de fevereiro, com o funcionamento apenas do serviço online de compras. Algumas varejistas parceiras da marca também fecharam suas lojas.

Segundo o jornal Nikkei Asian Review, a doença pode fazer com que a Apple desista do plano de aumentar a produção do iPhone de 10% neste primeiro semestre.

A Foxconn, que fabrica iPhones para a Apple na China, afirmou que a situação está sob controle e que a produção do iPhone não vai ser afetada. Porém, a empresa pediu que seus funcionários não retornassem ao trabalho no dia 10 de fevereiro, como estimado, e que aguardem as futuras instruções, segundo a agência de notícias Bloomberg.

“Para proteger a saúde e a segurança de todos e cumprir as medidas governamentais de prevenção de vírus, pedimos que não voltem a Shenzhen”, escreveu a empresa em uma mensagem aos funcionários vista pela Bloomberg. “Vamos atualizá-los sobre a situação na cidade. A empresa protegerá os direitos e interesses de todos no trabalho durante o período”.

 

Google – Por causa do coronavírus, o Google está fechando temporariamente todos os seus escritórios na China, de acordo com o site The Verge. O fechamento inclui também os escritórios instalados em Hong Kong e Taiwan, afirmou o site.

 

Xiaomi – A Xiaomi também tomou providências em meio ao cenário. Segundo o site Gizmochina, a empresa anunciou o fechamento de lojas na China por uma semana, por causa da “situação epidêmica”, nas palavras da empresa. A fabricante chinesa disse que pode fechar as lojas por mais tempo caso seja necessário.

 

Facebook – A rede social de Mark Zuckerberg, por sua vez, está restringindo as viagens de seus funcionários à China, de acordo com o site The Verge. A empresa está barrando as viagens que não são essenciais, e também está pedindo que funcionários que recentemente voltaram da China trabalhem de casa. Apesar de o Facebook não funcionar na China, a rede social tem escritórios no país e usa fabricantes chinesas para produção de seus óculos de realidade virtual e do seu aparelho de videochamadas Portal.  

 

LG proíbe viagens de funcionários

 

De acordo com a agência de notícias Reuters, a LG proibiu totalmente a viagem de seus funcionários para a China. Além disso, a empresa aconselhou seus funcionários que estão na China a voltarem para casa o quanto antes. A empresa também cancelou sua participação na Mobile World Congress (MWC), evento em Barcelona, na Espanha.

“Pela segurança de seus funcionários e do público em geral, a LG decidiu deixar de expor e participar do MWC 2020 ainda este mês em Barcelona, ??Espanha”, afirmou a LG em comunicado.

 

Microsoft – A empresa dona do Windows também está restringindo viagens de seus funcionários ao país, de acordo com a revista Forbes. “Nós aconselhamos os funcionários na China a trabalhar de casa”, disse a empresa, “e a cancelar todas as viagens de negócios não essenciais”.

 

Samsung – Devido ao coronavírus, a Samsung disse em comunicado que estendeu o feriado em algumas fábricas, de acordo com as orientações do governo chinês.

 

Tesla – A montadora de carros elétricos Tesla fechou sua fábrica em Xangai, seguindo orientações do governo chinês. A decisão afetará a produção do carro Modelo 3, de acordo com o chefe financeiro da empresa, Zach Kirkhorn. As ações da empresa registraram queda depois da confirmação de que entregas na China vão sofrer atraso graças ao coronavírus.

 

Huawei – Na segunda feira, 3, a Huawei retomou as atividades de suas fábricas na China, incluindo a produção de dispositivos e equipamentos de suporte e operações, após o feriado do Ano Novo Lunar. A empresa anunciou que funciona normalmente, no momento, apesar do coronavírus na China, por conta de uma isenção especial que permitiu que algumas fabricas continuassem em operação.

 

ZTE – A ZTE, empresa de telecomunicações, anunciou na terça-feira, 4, que não vai mais comparecer à coletiva de imprensa durante a Mobile World Congress, que acontecerá em Barcelona, de 24 a 27 de fevereiro. A empresa informou ao site de tecnologia The Verge que a ausência se dá por questões decorrentes do surto na China e pelos atrasos em serviços como visto para viajar, que atrasaria a chegada no evento.

 

Sony – Apesar de elevar a expectativa de lucro para o ano de 2020, a Sony alertou sobre os possíveis impactos que o coronavírus pode ter na sua cadeia de fornecimento global. Isso porque o envio de sensores, utilizados nos produtos da empresa, pode ser prejudicado com a disseminação do coronavírus, caso os fabricantes sejam obrigados a suspender as operações na China.

 

Segundo o vice-presidente financeiro, Hiroki Totoki, o surto de vírus também pode atrapalhar as cadeias de fornecimento de seu console PlayStation e outros eletrônicos de consumo.

A empresa decidiu cancelar a presença na Mobile World Congress (MWC), em Barcelona.”A Sony vem monitorando de perto a situação do coronavírus, que foi declarada uma emergência global pela OMS no dia 30 de janeiro de 2020. Ao priorizarmos a importância da segurança e do bem-estar de nossos clientes, parceiros, membros da mídia e funcionários, tomamos a difícil decisão de cancelarmos nossa participação no MWC 2020 em Barcelona, Espanha”, disse comunicado da empresa. Tradicionalmente, a fabricante japonesa revela novos dispositivos no evento.

 

Nintendo – A Nintendo anunciou nesta quinta-feira, 6, que é “inevitável” que a produção do console Switch seja afetada pelo coronavírus. A empresa começou a transição da fabricação do videogame da China para o Vietnã no ano passado, mas não garante que a fábrica do sudeste asiático tenha capacidade para suprir toda a demanda.

O presidente executivo da empresa, Shuntaro Furukawa, disse na semana passada que a produção na China do popular dispositivo estava sendo afetada pelo vírus.