Bolsonaristas acusam Bivar de envolvimento na morte de ex-namorada

31 de outubro de 2019

<div id="infocoweb"><div id="infocoweb_cabecalho"><a target="_blank" href="https://www.ig.com.br/"><img src="https://gestor.infocoweb.com.br/images/logo_ig.png" alt="source"></a></div><div id="infocoweb_corpo"><div class="gd12"> <figure class="foto-legenda undefined"> <span> <img src="https://statig3.akamaized.net/bancodeimagens/2b/zg/7j/2bzg7jbow7lhpe8eeu4ddg9dm.jpg" title="Luciano Bivar%2C Presidente do PSL" alt="Luciano Bivar" /> </span> <title>arrow-options</title> <figcaption class="undefined"> <cite>Agência Brasil</cite> <div class="undefined">Luciano Bivar, Presidente do PSL</div> </figcaption> </figure> </div> <p class="">Em meio a uma crise no PSL, aliados do presidente Jair Bolsonaro estariam desenterrando uma antiga investigação sobre o presidente do partido, Luciano Bivar. Ele seria um dos principais suspeitos na morte da massagista Claudete Maria da Silva, sua namorada nos anos 1980. As informações são da revista <em>Veja.</em> </p> <p class=""> <a href="https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-11-14/sentenca-de-juiza-que-condenou-lula-por-atibaia-e-derrubada-apos-copia-e-cola.html" target="_blank" data-mce-href="https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-11-14/sentenca-de-juiza-que-condenou-lula-por-atibaia-e-derrubada-apos-copia-e-cola.html">Leia também:&nbsp;Sentença de juíza que condenou Lula por Atibaia é derrubada após "copia e cola"</a> </p> <p class="">Em 3 de outubro de 1982, uma matéria publicada em um jornal de Pernambuco informava que o corpo de Claudete havia sido encontrado boiando no rio Capibaribe, no Recife, com água nos pulmões e sinais de afogamento. Na época, a vítima estava grávida de 8 meses. Um trecho da nota afirma que o principal suspeito pela polícia era o advogado Luciano <strong>Bivar</strong> . </p> <div class="gd12"> <figure class="foto-legenda undefined"> <span> <img src="https://statig3.akamaized.net/bancodeimagens/31/ys/qa/31ysqar9hv8zm65qm9yznq815.jpg" title="Jornal noticia morte de Claudete e fala sobre suspeita de Bivar" alt="jornal" /> </span> <title>arrow-options</title> <figcaption class="undefined"> <cite>Reprodução/Veja</cite> <div class="undefined">Jornal noticia morte de Claudete e fala sobre suspeita de Bivar</div> </figcaption> </figure> </div> <p class="">O inquérito não chegou a nenhuma conclusão sobre a autoria do crime e Bivar negou que conhecesse a massagista. No entanto, horas antes de desaparecer, Claudete teria dito a uma amiga que iria se encontrar com o pai da criança, um advogado casado, rico e membro de uma família influente no estado. Os legistas concluíram ainda que o corpo tinha sinais de violência, hematomas nos braços e no rosto.</p> <p>Em entrevista à <em> Veja</em> , a irmã da vítima, que não quis ter o nome divulgado, confirmou o relacionamento de Claudete e Bivar, mas conta que o casal se afastou após a gravidez. "Tudo o que queríamos era enterrar o corpo. Esse caso envolve muita gente poderosa. Minha mãe passa mal sempre que se fala sobre o assassinato da minha irmã, e ainda temos muito medo", afirmou.&nbsp;Pouco tempo antes da morte de Claudete o agora presidente do <strong>PSL</strong> teria voltado a procurá-la para reatar.&nbsp;</p> <p>De acordo com a <em>Veja</em> , bolsonaristas estão empenhados em colher documentos e depoimentos de testemunhas que possam levar à reabertura do caso. O presidente da Embratur,&nbsp;Gilson Machado, afirma ter sido o primeiro a contar a Bolsonaro sobre o suposto envolvimento de Bivar na morte da massagista. "Todo mundo com idade sabe que as suspeitas recaíam sobre o Bivar. Ele [Bolsonaro] também soube por outras pessoas porque é uma história muito conhecida no Recife. Não fui o único", relatou.&nbsp; <br /> </p> <p>O empresário diz ainda que Bivar ameaçou tirar <strong> Bolsonaro</strong> do PSL caso ele não fosse seu vice, mas que o embate foi resolvido após Machado entregar um dôssie ao então candidato a presidente com as informações sobre o caso de Claudete.&nbsp;</p> <p>Ainda de acordo com a revista,&nbsp;o coronel aposentado da Polícia Militar Luiz de França e Silva Meira, amigo de Bolsonaro e desafeto de Bivar, procurou promotores e policiais da época e concluiu que a elucidação do crime foi impedida por "interferências políticas".&nbsp;</p> <p> <a href="https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-11-14/psl-vai-analisar-cinco-pedidos-de-expulsao-de-eduardo-bolsonaro.html" target="_blank" data-mce-href="https://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-11-14/psl-vai-analisar-cinco-pedidos-de-expulsao-de-eduardo-bolsonaro.html">Leia também:&nbsp;PSL vai analisar cinco pedidos de expulsão de Eduardo Bolsonaro</a> </p> <p>Meira afirma que a irmã e a mãe de Claudete não foram procuradas pela polícia durante as investigações do crime. "Bivar usou a influência política que já tinha na época para que o inquérito não seguisse seu curso normal. A polícia investigou mal, testemunhas importantes deixaram de ser ouvidas e o nome do deputado misteriosamente desapareceu do processo", afirma o policial, que levou as informações a Machado e Bolsonaro. <strong>Bivar</strong> não quis comentar o caso.</p></div><div id="infocoweb_rodape">Fonte: <a target="_blank" href="http://ultimosegundo.ig.com.br/politica/2019-11-14/bolsonaristas-acusam-bivar-de-envolvimento-na-morte-de-ex-namorada.html">IG Política</a></div></div>