A porta do paraíso patagônico

Cidade argentina que atrai os brasileiros no inverno também se destaca pelos lagos, montanhas, aventuras e gastronomia

4 de fevereiro de 2020

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Considerada a “Suíça da América do Sul”, a porta de entrada da Patagônia tem atrações na estação mais quente do ano que a tornam única. A influência europeia na sua história e na arquitetura é inegável, mas o charme de Bariloche passa pela diversidade de suas paisagens, que vão desde a estepe (o deserto da Patagônia) até lagos, cachoeiras, florestas e montanhas.
 
Cada estação tem seu charme e uma maneira diferente de viver o destino. Bariloche, no verão, tem temperaturas que atingem 30 graus, possibilitando que o turista aproveite a praia e a montanha igualmente. O Lago Nahuel Huapi, por exemplo, tem cenários incríveis para relaxar em suas margens, ou também diversão para quem gosta de caiaques, stand up paddle e equipamentos de mergulho, entre outros esportes aquáticos. É um dos momentos que permitem maior variedade de atividades, pois o clima estimula uma extensa programação.
 
O circuito que forma as praias de lago, com trilhas para trekking, bicicletas e espaços gastronômicos, é um dos motivos que fazem de Bariloche um dos destinos mais escolhidos. A mais importante rede de abrigos de montanha da Argentina está em Bariloche.
 
Todos os anos, esses cenários são visitados por milhares de turistas que vêm de todo o mundo para se maravilhar com suas trilhas, vistas e cursos de água, que fazem o aventureiro sentir que o céu está realmente à mão. O sol acompanha cada passo e as estrelas testemunham uma aventura irrepetível na vida de cada caminhante. Uma das peculiaridades dessa “rede” de abrigos é que todos são conectados por caminhos que permitem a sua união sem precisar retornar à cidade.
 
Cenário espetacular 
 
As paisagens podem ser aproveitadas por meio de excursões tradicionais ou agências que personalizam os passeios para uma experiência luxuosa. O turista pode fazer atividades no lago, como navegar pelo Nahuel Huapi e chegar à Ilha Victoria e à Floresta Arrayanes, zarpar de Puerto Pañuelos e atravessar o lago até Puerto Blest e Cascada de los Cántaros, fazer a travessia andina e juntar-se à Argentina e velejar no Chile.
 
Pode ainda navegar pelo Braço da Tristeza, caminhar pela floresta de coihues até chegar à cachoeira do córrego Frey — profundo fiorde glacial a Sudeste do lago. As paisagens são espetaculares e, sendo uma rota pouco visitada, é possível apreciar a natureza quase exclusivamente só para o viajante.
 
Outra possibilidade oferecida por Bariloche é conhecer as colinas e suas geleiras, como El Tronador, os cerros Catedral, López e Campanario. Existem diferentes atividades de aventura, caminhadas e teleféricos, entre outras opções.
 
Se o visitante procurar por entretenimento, Bariloche está pronta o ano todo para fornecer excursões e serviços de infraestrutura. É possível visitar os centros de equitação, ideais para travessias que duram meio dia ou até mesmo o dia todo com guia especializado. Para um pouco mais de adrenalina e emoções, o rafting pode ser feito com diferentes graus de dificuldade ao longo do dia.
 
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quitutes argentinos
 
Os sabores da Patagônia são uma atração à parte. A área tem uma variedade de cervejarias artesanais, ótimo programa para terminar o dia de maneira descontraída. Não apenas é possível provar diferentes tipos de cervejas feitas com a água mais pura da montanha, mas também existem visitações nas fábricas da região. Cada fábrica e cada cervejaria têm sua própria personalidade, e existem passeios especializados, como o Beer Experience Tour, que permite conhecer três das fábricas mais importantes, finalizando com uma degustação harmonizada com um menu especial.
 
O bon vivant vai descobrir em Bariloche um lugar ideal, cheio de propostas gastronômicas para todos os tipos de paladar. Truta, frutas vermelhas e cordeiro são os produtos mais famosos, e Bariloche oferece pratos em abundância em seus deliciosos restaurantes. Também há opções mais sofisticadas, como o restaurante El Llao Llao, famoso por sua hora do chá e que agora inclui um novo menu de sushi com produtos regionais. O restaurante Quiven é outro que propõe um menu degustação de sete etapas que varia de noite para noite, no qual é possível experimentar, por exemplo, sorvete de salmão.
 
Todos esses elementos dão um charme especial a Bariloche, que oferece a possibilidade de viver uma experiência diferente e irrepetível em diferentes épocas do ano. Os turistas brasileiros têm uma vantagem adicional em sua visita a Bariloche, que é a isenção de IVA em acomodações com pagamentos com cartão emitido no exterior. Além disso, a taxa de câmbio atual da Argentina é muito favorável para quem vem do Brasil.
 
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Novos hotéis em Bariloche focam no luxo e no bem-estar
 
Bariloche está entre os destinos preferidos dos brasileiros para viagens no inverno com esportes de neve, como esqui e snowboard. Mas não só: no verão, também há atrações, como as cervejarias artesanais que se espalham pela cidade e passeios pelos lagos andinos. Nesta estação, a novidade está na cena hoteleira, com três hotéis que acabam de ser inaugurados.
 
A marca Hilton 
 
chega ao destino argentino, com a abertura do Hampton by Hilton Bariloche. Outras duas inaugurações na cidade da Pagatônia são o Villa Belluno, cinco-estrelas em estilo boutique, e o Selina Bariloche, que reúne tanto espaço de coworking quanto atividades de bem-estar.
 
Com tempo quente, Bariloche oferece esportes radicais e atividades ao ar livre, como cavalgada, trekking, kitsurfe e canoagem. Para quem gosta de navegar, o destino argentino pode ser combinado com a Travessia dos Lagos Andinos, indo até o Chile, ou incluir apenas a navegação no Lago Nahuel Huapi. As chocolaterias de Bariloche fazem sucesso entre os visitantes em qualquer estação.
Para quem pretender aproveitar Bariloche antes de a estação fria chegar, os três hotéis já estão em funcionando. Veja os destaques de cada um:
 
Hampton by Hilton Bariloche
 
Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
A estrela do Hampton by Hilton Bariloche fica na parte externa do hotel: o Lago Nahuel Huapi. Uma das paisagens mais bonitas e buscadas pelos viajantes nessa região da Patagônia argentina, ele pode ser visto dos dos quartos, dos dois elevadores panorâmicos e do café-bistrô, que serve cozinha tradicional argentina.
Com 105 quartos, o hotel tem uma localização estratégica. Fica entre as montanhas da região e perto de restaurantes e lojas do centro de Bariloche. Também está próximo de lugares como Isla Victoria, Bosque de Arrayanes e Cerro Catedral (estação de esqui local). Na internet, a diária não-reembolsável custa a partir de US$ 79 com café da manhã mais enxuto.
 
Selina Bariloche
 
Parte de uma rede hoteleira que mantém unidades em Buenos Aires e Córdoba, o Selina Bariloche propõe um jeito diferente de viajar, com a possibilidade de juntar trabalho e bem-estar. Com acesso direto a Cerro Catedral, o hotel tem acomodações em estilo boutique, espaço de coworking e atividades de recreação e bem-estar. Com 4,8 mil m² cobertos e 56 quartos, o empreendimento possui ainda restaurante e wellness center, com spa, piscina e academia.
Fundada na América Latina em 2015, a rede Selina convida artistas, designers e artesãos locais para participarem no projeto de cada unidade. A empresa está em 48 pontos na América Latina e na Europa e planeja ampliar para um total de 100 destinos até 2022, com unidades nos Estados Unidos e na Ásia. Sem café da manhã, a tarifa no site não-reembolsável sai desde US$ 35,09.
 
Villa Beluno Bariloche
 
Cada detalhe importa no hotel-boutique Villa Beluno Bariloche para contentar os hóspedes das suas 14 suítes. No serviço, são usados diversos objetos trazidos da Europa, como as xícaras Christian Lacroix. Todas as acomodações contam com sala de estar, varanda e amplos banheiros em estilo clássico, com banheira.
O hotel de luxo tem um átrio com janelas do chão ao teto no átrio, com vista para o Lago Nahuel Huapi, as montanhas e a Isla Victoria. Os hóspedes têm à disposição ainda piscina aquecida, spa, sauna e academia. A gastronomia mistura as culinárias argentina, italiana e francesa. Com café da manhã, tarifas custam a partir de US$ 750. Reservas de pelo menos duas diárias incluem translados do aeroporto na chegada e na partida.