Meio Ambiente

Pequenos na proteção

11 de fevereiro de 2021

A lista de interessados em aderir ao programa “Adote um parque”, lançado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), passou a incluir a Confederação dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais (Conafer). Nesta semana, a confederação entregou um pedido de adesão ao programa, com o objetivo de patrocinar a proteção de duas reservas extrativistas marinhas no litoral do Pará.


O que você também vai ler neste artigo:

  • Reserva extrativista
  • Proposta
  • Ambiente sensível
  • Associados
  • Ações

Reserva extrativista

No pedido, a instituição afirma que “tem interesse em adotar” a reserva extrativista (Resex) marinha de “Caeté-Taperaçu”, área de 42,4 mil hectares localizada no município de Bragança. Outra reserva que a Conafer quer patrocinar seria a “Mãe Grande de Curuçá”, que fica no município de Curuçá e tem área total de 36,6 mil hectares. Cada hectare equivale, em média, ao tamanho de um campo de futebol.

Proposta

A proposta da confederação é de repassar R$ 4,5 milhões para as duas reservas, onde já existe a presença de pescadores e pequenos produtores rurais. O Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio), que é o órgão federal responsável por cuidar das unidades de conservação federais, seguiria como o responsável pela administração e fiscalização das áreas. O pedido está em análise pelo MMA, que oficializa o lançamento do programa nesta terça-feira, 9, em cerimônia prevista para ocorrer no Palácio do Planalto.

Ambiente sensível

As informações foram confirmadas pelo presidente da Conafer, Carlos Lopes, que enviou sua manifestação de interesse ao ministro do MMA, Ricardo Salles. Perguntado por que escolheu, especificamente, as duas reservas extrativistas para financiar, Carlos Lopes disse que se trata de áreas com situação do meio ambiente sensível e onde já há ação de pequenos produtores em andamento, como comunidades ribeirinhas e pescadores.

Associados

A Conafer, segundo Lopes, conta hoje com mais de 1,350 milhão de associados. Trata-se de pequenos produtores rurais que geram de R$ 2 mil a R$ 100 mil por mês em sua atividade produtiva. Cada pessoa paga uma mensalidade para a confederação, que varia de R$ 20 a R$ 25 por produtor. “Temos todo interesse em cuidar dessas áreas. Queremos fazer parte de uma agenda positiva, sendo produtor rural. Nós que usamos o solo, que pescamos, exploramos o óleo, a semente, a mandioca. Vivemos disso e dependemos dessa conservação”, disse.

Ações

Segundo o presidente da Conafer, a instituição já trabalha com ações de recuperação de algumas áreas. “Atuamos para apoiar áreas degradadas. Já iríamos investir isso, de qualquer forma. Então, ajudaremos a resolver um problema. O setor produtivo tem sido cobrado internacionalmente sobre isso”, comentou.