Meio Ambiente Destaques

MEIO AMBIENTE

25 de novembro de 2021

Simpósio debate a água em BH

Belo Horizonte é a sede, durante essa semana, de discussões centrais sobre a agenda atual em torno dos recursos hídricos. Sob o tema central “Água em pauta: múltiplas dimensões”, o XXIV Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos reúne grandes especialistas e autoridades nacionais e internacionais em torno do assunto. A iniciativa da Associação Brasileira de Recursos Hídricos (ABRHidro) tem a correalização do Governo de Minas Gerais e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e outras entidades parceiras, sendo o maior evento da história de 44 anos da Associação, como bem destaca a presidente da instituição, Synara Broch. O Expominas é a sede presencial do evento, que também conta com programação virtual. As atividades remotas são exibidas em plataforma exclusiva de transmissão mantida pelo congresso. Já as 40 atividades gratuitas podem ser conferidas no canal do YouTube da entidade: https://eventos.abrh.org.br/xxivsbrh/

Pontos altos

A dimensão e importância do evento da capital mineira fica evidente não apenas pelo porte dos conferencistas e pela ampla e diversificada programação que está sendo acompanhada por cerca de 3 mil participantes. O simpósio é uma oportunidade única de trazer o Brasil para o centro dos debates fundamentais em torno da gestão de recursos naturais. Veja alguns dos destaques e temas de relevância que estão sendo discutidos no Expominas:
• A ciência da água em panorama: uma das presenças celebradas foi a do premiado professor de hidrologia, Keith Beven. Na conferência intitulada “Perspectiva histórica e futura da ciência da água”, o especialista, que é consagrado por desenvolver metodologias e modelos hidrológicos, trouxe contribuições de ponta. O professor – mundialmente reconhecido quando o assunto são os sistemas de previsão e análise de incertezas – falou sobre os limites e as perspectivas de estudos e aprimoramentos que originem sistemas e métodos mais precisos e satisfatórios;
• O impacto das tecnologias: “Recursos hídricos na era digital” foi o tema abordado em conferência pelo atual ministro do TCU, Aroldo Cedraz. Quando parlamentar, ele também foi o relator da Lei nº 9.433, conhecida como Lei das Águas do Brasil. A normativa mudou os rumos da gestão da água no País, por colocar o assunto entre as políticas públicas nacionais. Cedraz destacou que é fundamental investir em tecnologia para otimizar a gestão das águas e reduzir as desigualdades, valorizar a cidadania e construir uma visão unificada, com políticas públicas, de fato, eficazes;
• O papel das ações educativas: o summit promovido pela Comissão Interinstitucional de Educação Ambiental (CIEA), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), teve como pauta a educação ambiental com foco nos recursos hídricos. Representantes de entidades públicas, governamentais e ONGs debateram um assunto, numa conversa que também envolveu a apresentação de boas práticas;
• Rumo ao 9º Fórum Mundial da Água: outro importante momento foi a mesa redonda “SESSÃO WWC 1: Rumo ao 9º Fórum Mundial da Água, Dakar 2022 | Desafios do financiamento do ODS 6 na América do Sul”.