Lingua Portuguesa

Entrega a domicílio ou entrega a domicílio?

POR ANDERSON JACOB ROCHA

20 de março de 2021

Estes enunciados são muito comuns no dia a dia empresarial. Não há dificuldades no entendimento deles porque querem dizer a mesma coisa. Lembro-me que isso era discutido em vários lugares. Penso ser por causa de alguns programas televisivos que davam dicas de Língua Portuguesa com os quais aprendi bastante.

No entanto, como adquiri minhas próprias experiências com a nossa língua, já faz um tempo que percebi que algumas daquelas orientações não eram, a meu ver, tão adequadas. Mas, isso é natural porque a ciência muda, se aperfeiçoa. Por isso, é importante sempre aguçar o espírito crítico com relação ao estudo da língua. Não há espaço para a inflexibilidade.

O estudo da língua é uma ciência e como tal precisamos ficar atentos nos fatos que acontecem no cotidiano da comunidade linguística para fazer comparações dos usos cotidianos com as formas padronizadas. É dessa forma que se faz ciência: entender os porquês dos usos, das formas. Esse tipo de consciência, acredite, faz termos uma percepção muito maior em relação a nossa linguagem.

No caso dos dois enunciados propostos no título, aprendi que “entrega a domicílio” é errado usar. Será mesmo? Vamos ver?
Pois bem, precisamos lembrar de uma das dez classes gramaticais, a preposição. Essa classe é aquela que possui um termo invariável que liga duas outras palavras. Por exemplo: “A casa de Pedro”. A preposição “de” está ligando “casa” ao “Pedro”.
São exemplos de preposição: a, para, com, em, até, de etc. Portanto, se o “a” é também uma preposição, por que não poderíamos utilizá-lo no enunciado “entrega a domicílio”?

Certa vez, li em uma entrevista o Prof. Dr. Evanildo Bechara, imortal de nossa Academia de Letras, responder que a regência do verbo “entregar” exige a preposição “a”. Com isso, confirmei que esse uso é perfeito. Assim, nunca mais tive o pudor de usar tal preposição para esse caso. Desse modo, podemos usar tanto “entrega a domicílio” quanto “entrega em domicílio”.  A ressalva está no enunciado “entrega à domicílio”, pois nesse lugar não cabe o uso do artigo “a” à frente da palavra “domicílio”, simplesmente por se tratar de um substantivo masculino.

Assim, não há porque unir a função preposição do “a” com o suposto artigo “a” que, em verdade, não existe pelo motivo que já explicamos. Sendo assim, use e abuse, se for caso, de “entrega a domicílio” ou “entrega em domicílio”. Pronto.

ANDERSON JACOB, doutor em Língua Portuguesa (PUC/SP), autor do livro: A Linguagem da Felicidade. Instagram: @prof_andersonjacob. Youtube: Prof. Dr. Anderson Jacob.