Lingua Portuguesa

Crase e numerais

POR MARIA TEREZA DE QUEIROZ PIACENTINI

6 de março de 2021

Embora o fenômeno da crase tenha a ver basicamente com a classe dos substantivos, muitas pessoas perguntam se ocorre crase diante dos numerais cardinais. Respondo que normalmente não, porque eles são usados sem artigo definido e não têm gênero (exceto um e dois e os terminados em -entos: uma, duas, duzentas, trezentas etc.). Observe: Contemos de 1 a 20: um, dois, três, quatro… – Li 10 páginas apenas. – Há 100 cavalos em exposição. – Compramos cinco mesas e 30 cadeiras.

Outras vezes se poderá encontrar na frente do numeral um a, que não será acentuado por se tratar de mera preposição:
Lombada a 100 metros. – Posto de emergência a três quadras daqui. – Dirigiu-se a duas crianças. – Chegou-se a 12 propostas.

Vale lembrar que à/às só tem cabimento diante de substantivos femininos que admitem a anteposição do artigo definido. No entanto, poderemos visualizar uma crase – correta – antes do numeral em duas circunstâncias:

1) quando houver, subentendido diante do numeral, um substantivo feminino definido, que não se repete por questão de estilo:
Li da página 1 à 10. [da página 1 à página 10] – Caminhou da rua Augusta à 7 de Setembro. [da rua Augusta à rua 7]

2) quando houver explicitamente junto ao numeral um substantivo feminino determinado (do qual o numeral é apenas um dos determinativos):

Dirigiu-se às duas crianças abandonadas. – Servem café da manhã grátis às dez primeiras pessoas que aparecem no hotel. – Chegou-se, dessa forma, às 12 propostas descritas no memorial.

Como se vê, a crase aí está relacionada não ao numeral mas ao substantivo determinado: as crianças abandonadas, as primeiras pessoas que aparecem, as propostas descritas. Mudando-se esse substantivo para um equivalente masculino, temos aos em vez
de às:

Dirigiu-se aos dois meninos abandonados. – Servem café da manhã grátis aos dez primeiros indivíduos que aparecem. – Chegou-se, dessa forma, aos 12 projetos descritos no memorial.

MARIA TEREZA DE QUEIROZ PIACENTINI – Diretora do Instituto Euclides da Cunha e autora dos livros ‘Só Vírgula’, ‘Só Palavras Compostas’ e ‘Língua Brasil – Crase, pronomes & curiosidades’ – www.linguabrasil.com.br