Clima Destaques

Julho é o mês mais frio do século em Passos

31 de julho de 2021

a temperatura mínima em passos foi de -1,4ºc, com geada intensa, no dia 20 de julho:/ Reprodução.

PASSOS – Julho de 2021 ainda não terminou, mas já é o mês mais frio deste século em Passos, com temperaturas mínimas de 1,6°C, -1,4°C e 0,4°C registradas entre o dia 1º e esta sexta-feira, 30. De acordo com dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a madrugada de ontem foi a segunda mais fria do mês, com os termômetros marcando 0,4°C.

No último dia 20, Passos registrou -1,4°C e geadas atingiram o município e outras cidades da região, prejudicando plantações de café, banana e outras lavouras. Em 1º de julho, a cidade enfrentou a primeira onda de frio intenso e os termômetros registraram 1,6ºC, mas as geadas foram fracas e não resultaram na ‘queima’ total das folhas e brotos das plantações.

De acordo com o Inmet, a tendência é que a massa de ar frio polar que veio do extremo sul do continente americano se dissipe, e, aos poucos, as temperaturas devem aumentar. Na tarde desta sexta-feira, às 16h, a temperatura chegou a 21,7ºC, com 12% de umidade do ar. O pico de maior variação é entre 12h e 18h.

O Inmet possui estações meteorológicas automáticas que registram, de hora em hora, temperaturas exatas, incluindo os números decimais, em várias cidades das regiões Sudoeste e Sul de Minas, inclusive em Passos. Em Monte Verde, distrito de Camanducaia (MG), o Inmet registrou -4,5°C nesta sexta, a temperatura mais baixa em Minas no período. Maria da Fé teve -3,5ºC e Poços de Caldas registrou -3,3°. Em Varginha, a mínima ficou em 2,2°C.

Varal Solidário

Em razão do período de dias frio em Passos, a igreja Presbiteriana Central promoveu, nesta semana, ações sociais voltadas a atender pessoas em vulnerabilidade social. Uma delas é o Varal Solidário, onde roupas de frio são colocadas em praças públicas e podem ser retiradas por quem necessita.

De acordo com o pastor Leonildo Alves de Oliveira, a Sociedade Auxiliadora Feminina (Safe) distribuiu centenas de peças masculinas e femininas em seis diferentes locais no centro e em bairros da cidade. Em um curto espaço de tempo, restaram poucas, principalmente agasalhos.

No último domingo, 25, a Safe, coordenada pelo conselheiro e pastor Rômulo Stockler da Silva Leitão, promoveu a entrega de roupas masculinas e femininas para 45 famílias de migrantes venezuelanos que chegaram na cidade recentemente. No início da semana, foi a vez de vender roupas e acessórios em bazar solidário, cuja renda foi revertida para as ações missionárias presbiterianas em outros países.