Geral

Carmo adota toque de recolher

25 de março de 2020

CARMO DO RIO CLARO – A Prefeitura de Carmo do Rio Claro adotou toque de recolher no município, entre as 20h e 5h, como forma de enfrentamento ao novo coronavírus. Amparado em um decreto, prefeito Tião Nara afirma que a medida tem como objetivo evitar a transmissão e a propagação do vírus na cidade. O toque de recolher teve início na última segunda-feira, 23.
Segundo informações divulgadas ontem pela prefeitura em uma rede social, Carmo tem 12 casos suspeitos e um descartado. Na região, o número de suspeitas já atingiu pelo menos 216 notificações, de acordo com informações divulgadas pelas prefeituras entre segunda e terça-feira. Passos, com 105 casos suspeitos, São Sebastião do Paraíso (65), Piumhi (12 casos notificados e 4 em investigação), Carmo (12) e Ibiraci (11) estão entre os municípios com maior quantidade de registros.
O procurador do município de Carmo do Rio Claro, Nicolau Achcar Santos Júnior, afirma que o toque de recolher é uma medida preventiva e que foi adotada para reforçar o isolamento social. “O que está sendo propagado é que essa semana seria o pico da doença e uma possível explosão dos casos abril. Portanto, estamos trabalhando bastante para evitar, o máximo possível, o convívio e a contaminação das pessoas”.
O comércio de produtos considerados essenciais, que está em funcionamento, e os serviços que não foram afetados pelas medidas de restrição, como segurança privada, por exemplo, não estão sujeitos ao toque de recolher. “No entanto, após às 20h, quem estiver ocioso na rua, sem fazer nada, a polícia irá abordar e recomendar a ida para a casa. Caso esteja trabalhando, e tiver o comprovante disso, o horário não afeta a atividade”, declara o procurador.
A medida está amparada pelo comunicado do Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta que, em pronunciamento na semana passado afirmou que o país já vive uma situação de transmissão comunitária, quando não é possível rastrear como as pessoas foram infectadas, e esta poderá ser a pior semana para contágio do novo coronavírus, o que consequentemente, pode vir a causar um colapso no sistema público de saúde no mês de abril. Carmo apresenta nove casos em suspeita do Covid-19, de acordo com o boletim diário da prefeitura atualizado na última segunda.
Assim como foi declarado por Nicolau Achcar, em caso de descumprimento do toque de recolher, a Polícia Militar poderá ser acionada e o descumprimento poderá acarretar que o infrator fique sujeito às penalidades estabelecidas pelo Código Penal Brasileiro, sobretudo, com possibilidade de prisão em flagrante por crime de desobediência (art. 330, CP).
Estão fora da imposição do toque de recolher as pessoas que estiverem trabalhando em serviços considerados essenciais.