Folha Motors Destaques

Pulse é o primeiro SUV da Fiat feito no Brasil e preço vai de R$ 80 mil até R$ 116 mil

29 de outubro de 2021

Fiat apresenta o Pulse, veículo da montadora totalmente desenvolvido no Brasil

Há quase uma década, a Fiat vem se preparando para produzir um SUV no Brasil. E coube à filial brasileira criar o modelo, que recebeu o nome de Pulse e começa a chegar às concessionárias neste mês. Para as marcas generalistas, ter um SUV compacto no portfólio já não é opção, mas obrigação. Em 2021, 41% dos carros emplacados no País são SUVs. A Fiat chega tarde, mas quer brigar pela liderança de vendas. Sem citar quais, a italiana informa que o Pulse tem até 18 concorrentes diretos.

O Fiat Pulse chega às lojas em cinco versões e com preços competitivos, que vão de R$ 80 mil até R$ 116 mil. Em São Paulo, onde se paga ICMS maior, a tabela começa em R$ 82.530 e alcança R$ 119.690 na configuração topo de linha Impetus. Na base, o utilitário tem o motor 1.3 firefly flex de até 109 cv e 14,2 mkgf de torque quando abastecido com etanol. Com gasolina, são 101 cv e 13,7 mkgf. A versão de entrada Drive 1.3 tem câmbio manual de cinco marchas.

Veja os valores de lançamento: Drive 1.3 flex Manual – R$ 79.990; Drive 1.3 flex CVT – R$ 89.990; Pulse Drive 1.0 Turbo flex CVT – R$ 98.990; Audace 1.0 Turbo flex CVT – R$ 107.990; Impetus 1.0 Turbo flex CVT – R$ 115.990
Uma novidade é que o motor 1.3 flex será ligado pela primeira vez ao novo câmbio automático do tipo CVT. A transmissão continuamente variável, que estreia com o SUV, tem simulação de sete marchas e é fornecida pela japonesa Aisin. Trata-se do mesmo câmbio do Toyota Yaris, porém com ajustes da engenharia da Fiat.

Turbo mais potente

Além do novo câmbio CVT, o Pulse promove a chegada de outra peça-chave para a Fiat – e também Citroën, Jeep e Peugeot, suas parceiras no grupo Stellantis. O SUV da marca italiana vai estrear o motor 1.0 turbo flexível de três cilindros, com injeção direta e comando variável de válvulas fornecido pela thyssenkrupp. Ele chega como o mais potente da cilindrada.

São 130 cv de potência máxima com etanol, e 128 cv com gasolina. Já o torque máximo chega a 20,4 mkgf com ambos os combustíveis, e é entregue logo a 1.750 rotações. Assim, o novo motor da Stellantis é mais forte e enche mais rápido que o 1.0 TSI da Volkswagen, que, até agora, era a referência entre os motores de 1 litro com turbo no Brasil.

O novo motor é indicado pela inscrição “Turbo 200” na tampa traseira, e está disponível nas três versões de acabamento do SUV. São elas: Drive, Audace e Impetus – estes dois novos nomes na gama da Fiat. Combinado ao câmbio CVT, o Fiat Pulse tem três modos de condução (Manual, Normal e Sport). A aceleração de zero a 100 km/h é feita em 9,4 segundos.

Conforme explica a Fiat, o modo Sport atua na direção, no controle de estabilidade, no mapeamento do acelerador e também altera o tempo de resposta e de troca de marchas. Para comparação, o Volkswagen Nivus, que será seu principal concorrente, leva 10 segundos para arrancar até os 100 km/h. O Pulse também é mais rápido que o Polo, que leva 9,6 s.