Folha Motors Destaques

Nova Chevrolet S10 Z71 chega com estilo aventureiro

5 de fevereiro de 2022

A picape acelera muito bem e, desde a última atualização da turbina, a entrega de torque é mais linear./ Foto: Reprodução.

O mercado de picapes médias no Brasil é bastante competitivo, com rivais bem equalizados. Para se sobressair, é preciso investir em novas configurações e oferecer equipamentos exclusivos. A Chevrolet está atenta a essas oportunidades, foi a primeira a lançar um veículo conectado nesse segmento e, agora, apresentou uma versão com estilo aventureiro, a S10 Z71.

Dessa vez, o fabricante não foi pioneiro, veio depois de duas concorrentes: Ford Ranger Storm e Nissan Frontier Attack. O trio tem o mesmo apelo, com destaque para adereços que evocam o off-road. Todas elas são calçadas por pneus de uso misto. A S10 Z71 oferece de série santoantônio tubular, alargadores de para-lamas, estribos laterais e bancos de couro – bastante uteis para o uso fora de estrada, por não acumular poeira e não absorver água, por exemplo.

A mecânica é a mesma de outras versões do utilitário da Chevrolet: motor 2.8 litros turbo diesel e transmissão automática de seis velocidades. O propulsor de quatro cilindros entrega 200 cv de potência aos 3.6000 rpm e 51 kgfm de torque aos 2 mil giros. Obviamente, a tração é 4×4, o acionamento é eletrônico, feito por meio de um seletor no console central.

De acordo com o Inmetro, o consumo de diesel é de 8,3 km/l na cidade e de 10,6 km/l na estrada. Em nossas medições, aqui na Bahia, o resultado foi ligeiramente superior: 8,6 km/l em trechos urbanos e 10,9 km/l em rodovias.

No off-road a picape melhorou a aderência graças aos pneus de uso misto, que melhoram o tracionamento em pavimentos ruins. Também é útil nesses pisos o controle de velocidade para descidas íngremes. O sistema, acionado por um botão no painel, evita derrapagens e, com ele ligado, o motorista não precisa acelerar ou frear.

Pela proposta da picape, a Chevrolet deveria ter instalado um sistema de mapas via GPS na central multimídia, como é oferecido em outras versões, como a High Country. Um outro contrassenso: a Chevrolet é pioneira na adoção do sistema de um chip de dados embarcado, que possibilita até comandos remotos por meio de um aplicativo de smartphone, mas essa versão não conta com a tecnologia.

Custo e manutenção

A S10 Z71 custa R$ 274.800, e é mais cara que suas duas rivais: Ranger Storm (R$ 246.190) e Frontier Attack (R$ 263.790). Em relação à manutenção programada, que em todas deve ser feita a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, o preço médio de cada uma das seis primeiras é: Frontier (R$ 1.099,50), Ranger (R$ 1.345,67) e S10 (R$ 1.362,67). A Ford oferece cinco anos de garantia, enquanto Chevrolet e Nissan cobrem por três anos.

A Z71 é a única das três com acabamento em couro para os bancos e tem seis airbags – a Storm conta com sete e a Attack com apenas dois. A Chevrolet conta com mais de 500 concessionárias no país, a Nissan com 186 e a Ford com 110. A dica para quem vai comprar: se for produtor rural ou empresário, opte pela modalidade de venda direta para usufruir do desconto de 8%.