Entretenimento Destaques

Tiro, sangue e ‘muito’ escracho

Streaming

15 de janeiro de 2022

John Cena vive o anti-herói cujo lema é lutar pela “paz”, mesmo se para isso tiver de matar homens, mulheres e crianças./ Foto: Reprodução.

Depois do sucesso inegável do Universo Cinematográfico Marvel no streaming, a DC dá os primeiros passos para o compartilhamento de personagens entre cinema e séries. O escolhido para a empreitada foi o anti-herói Pacificador. O personagem, interpretado por John Cena, estrela a produção “Peacemaker”, a nova atração na plataforma HBO Max.

O seriado acompanha os momentos imediatamente seguintes ao final de “O Esquadrão Suicida”. O Pacificador foge do hospital em que está internado, mas é interceptado por uma equipe de operações especiais. O motivo é a nova missão de cunho secreto, nos mesmos moldes daquela para a qual foi designado no filme lançado em 2021.

A série segue a mistura de comédia escrachada, humor ácido e ação visceral que pode ser vista no último longa do esquadrão. Tudo é muito explícito, com muito sangue, cenas de sexo, linguagem e piadas inapropriadas. Porém, esse é o tom que o personagem carrega desde a primeira interação nos filmes da DC.

“Vou trazer a paz, não importa quantos homens, mulheres e crianças terei de matar para garantir isso” é o principal bordão do personagem. A frase não deixa de ser um grande conflito, porém tudo do Pacificador é conflito.

Criado pelo pai para ser máquina de matar, o personagem vive o dilema entre o passado manchado de sangue e a possibilidade de um futuro como herói. A cada episódio, a escolha de John Cena para viver o protagonista se mostra mais acertada. O ator une a veia cômica do pastelão com o físico e a irreverência do WWE, modalidade de luta livre profissional.

É como se o Pacificador tivesse sido criado com base no próprio ator. A forma de falar, de lutar e de sentir o protagonista, por parte de John Cena, conferem a ele a verdade que parecia improvável para uma figura que mata em nome da paz e aceita missão suicida sem ao menos saber do que se trata.

A parceria John Cena e James Gunn é outro grande acerto. O diretor deu ao ator liberdade para viver o cômico e não se levar a sério. Poucos cineastas do ramo agiriam assim. A série, por sinal, tem o dedo muito mais visível de James Gunn, que dirigiu “O Esquadrão Suicida”. Criado no cinema gore e de terror, mas aficionado por música e quadrinhos, o diretor acrescentou a “Peacemaker” cada um dos elementos que o fizeram gigante da cinematografia de heróis, mas sem abrir mão da própria origem. Detalhe: a vinheta de abertura do seriado, assinada por Gunn, é uma das melhores e mais divertidas da história recente da televisão.

Além de John Cena, dois atores reprisam os próprios papéis de “O Esquadrão Suicida” no seriado. Jeniffer Holland faz a agente Emilia Harcourt, e Steve Agee o suporte de missão John Economos. Ambos ganharam muito mais importância na trama em relação ao último longa dos vilões da DC.

“PEACEMAKER” – Série dirigida por James Gunn. Com John Cena, Jeniffer Holland, Steve Agee, Freddie Stroma, Danielle Brooks, Robert Patrick e Chukwudi Iwuji. Primeira temporada, com oito episódios. Três deles já estão disponíveis na plataforma HBO Max.