Destaques Entretenimento

Rodrigo Candelot estará em Gênesis

14 de janeiro de 2021

O ator é um dos confirmados na trama que começa dia 19 na Record. / Foto: Divulgação

O ator Rodrigo Candelot estreia este ano numa novela bíblica da Record. Ele participará da quarta fase de Gênesis, produção que será lançada na emissora no próximo dia 19 após o adiamento em 2020 por causa da pandemia de covid-19. A oportunidade de integrar o elenco veio após a participação em Topíssima.

Já tinha ouvido falar que a Record produziria uma novela bíblica. Isso me deixou ligado e também em contato com meus agentes para sondar se havia algum personagem para mim. Sempre quis trabalhar com o Edgar Miranda, diretor geral de Gênesis, e ele também já havia me dito que uma hora ia chegar esse momento”, lembra.

Assim surgiu a escalação para dar vida ao sacerdote Ibate na fase de Ur dos Caldeus. “Cada sacerdote tem uma função a mais no reino. No meu caso, é cozinha imperial”, explica. O personagem é bem-humorado e um cara bonachão, o que facilitou para Candelot que tem experiência na comédia.

O Ibate tem um pouco de humor, sim, mas ele não é um personagem de comédia. É um cara bem-humorado, na verdade, mas temos uma trama séria e que dá pouca margem para fazer piada. Mas como é um cara leve, acho que pesou a minha escolha exatamente pela minha veia cômica”, completa.

Para se preparar para o personagem, o ator teve que ganhar peso e adotar uma postura mais coloquial. A reaproximação com a cozinha durante a pandemia também ajudou no processo de construção de Ibate. Candelot aproveita para dar alguns detalhes da trama do sacerdote em Gênesis:

É um personagem que está presente em diversas outras cenas e cenários, além da cozinha. E com o desenrolar da trama, quando ele está mais velho (na minha fase há duas passagens de tempo de 17 anos), por volta de 64 anos, ele assume o papel de sumo sacerdote do reino”.

Além de voltar a se dedicar à cozinha, a quarentena impulsionou o artista a lançar o canal Bagaceiros.

Comecei a fazer pequenos vídeos em casa com a ajuda do meu amigo cineasta André Falcão, que divide apartamento comigo. Nasceram assim o programa de entrevistas do Jean Pierre, um repórter francês criado em Realengo, com um sotaque carregado, divertido e que adora falar com celebridades; o Batata, um cara com síndrome de Peter Pan que fica azarando as amigas da época da escola em videochamada; e o programa Isolados, em que diferentes pessoas, com seus mais diferentes problemas têm que se relacionar, apesar do isolamento social imposto pela pandemia”, conta. O time é composto por outros comediantes, entre eles Helga Nemetik, Charles Paraventi e Kacau Gomes.

Em 2021, Candelot tem ainda outros projetos. A ideia é remontar a comédia Enrolados com os recursos da Lei Aldir Blanc.  “Não sei se será somente on-line ou se também será presencial, pois vai depender da reabertura dos teatros”, revela. Também está confirmado numa adaptação de Othelo de Shakespeare, ainda sem previsão de lançamento. Além disso, tem dois projetos de séries de tevê criadas por ele com a diretora Malu Shroeder, que aguardam negociação com canais e streamings.