Destaques Entretenimento

Patrícia Poeta assume o ‘Encontro’

4 de dezembro de 2020

Durante afastamento de Fátima Bernardes, que está com câncer, Patrícia Poeta assumirá o programa matinal. / Foto: Divulgação

Após a jornalista e apresentadora Fátima Bernardes, de 58 anos, revelar que está com câncer de útero e terá de se afastar de seu programa para fazer o tratamento, a Globo anunciou que Patrícia Poeta ficará em seu lugar nesse período.

Em comunicado, emissora informou que, como anunciado em suas redes sociais, Fátima Bernardes irá se afastar do programa para cuidar de sua saúde.Nos próximos dias, o Encontro será apresentado por Patrícia Poeta. Desejamos pronta recuperação para a apresentadora, que terá todo nosso apoio durante o seu tratamento”, disse em nota.

Fátima Bernardes usou suas redes sociais na noite de quarta, 2, para dizer que havia recebido o diagnóstico.

Estou bem. Depois de uma série de exames de rotina, hoje recebi o diagnóstico de um câncer de útero em estágio inicial. Vou me afastar por uns dias do trabalho para fazer a cirurgia”, afirmou em sua página do Instagram.

Afirmou ainda que vai aproveitar para estar próxima dos “pais, filhos, do meu amor e dos amigos próximos”. Finalizando com agradecimento pelo carinho e boas energias de todos. “Logo, logo estarei de volta para nossos encontros.

O namorado de Fátima, o deputado federal Túlio Gadêlha (PDT-PE) publicou uma mensagem, após a apresentadora noticiar o tratamento. “Você é mais forte do que pensa. Tudo será mais fácil do que imagina. Estamos juntos nessa, meu amor. Cada minuto importa”.


Tratamento

Segundo o ginecologista e obstetra do Hospital Sírio Libanês e Hospital Albert Einstein, Alexandre Pupo, o melhor caminho para a detecção do problema é a realização de exames de rotina, como o papanicolau, que permitem o diagnóstico da doença ainda em fase inicial, como foi o caso da apresentadora da Globo, possibilitando altas chances de cura.

O câncer de colo uterino pode ser detectado muito precocemente. Muitas vezes em um estágio onde o HPV está provocando lesões chamadas pré-cancerígenas, alterações do colo do útero, que são classificadas de um a três, sendo três o estágio que antecede o câncer. O papanicolau é o exame de excelência para a identificação de pacientes”, explicou.

O médico informou que o HPV não é um fator de risco definitivo para câncer e que é necessário ter uma alteração percebida no exame mencionado e na colposcopia.

“A doença é avaliada pelo tamanho do tumor e pela disseminação no sistema linfático. Se estiver restrito ao colo do útero e for menor do que dois centímetros, a cirurgia é suficiente para garantir uma probabilidade de cura acima de 95%”.

No caso de um câncer em estágio mais avançado, este tratamento não é suficiente.

Se houver invasão linfática ou se o tumor for maior que dois centímetros e (ou) se houver presença de gânglios comprometidos na região da pelve, a radioterapia associada a uma quimio será necessária”, afirmou Alexandre.

De acordo com o ginecologista, sintomas como o fluxo contínuo de uma secreção com forte odor, sangramentos intermitentes, anemia, problemas urinários, inchaço e dores nas pernas podem ser sinais de um câncer de útero mais avançado.