Destaques Entretenimento

Oscar diferente promete surpresas

24 de abril de 2021

Harrison Ford, Brad Pitt e Reese Witherspoon são algumas das estrelas já anunciadas para a apresentação da festa do Oscar, amanhã. / Foto: Divulgação

Criado em 1929, o Oscar tem uma longa história recheada de curiosidades e momentos inusitados. Cercada sempre de muito glamour, a premiação da Academia de Hollywood desperta os mais variados sentimentos no público e na crítica, seja por agradar as escolhas feitas por seus votantes ou deixar a desejar e dando pano para a manga e levando a inúmeros questionamentos.

E fatos marcantes é que não faltam a essa festa do cinema, como o que aconteceu em 2017, quando uma involuntária troca de envelopes fez com que Warren Beatty e Fay Dunaway anunciassem La La Land como melhor filme, mas que na verdade quem ganhou foi Moonlight. Entre os inúmeros premiados, Walt Disney é o principal vencedor, ao faturar 26 estatuetas, além de 59 indicações. Outra marca que não se pode desprezar é a de Meryl Streep, que acumula 21 indicações. O Oscar de 2021 será realizado neste domingo, 25 de abril, em formato híbrido, com transmissão de vários locais, como o tradicional Dolby Theatre e também a Estação Ferroviária Central de Los Angeles.

Um tapete vermelho “minúsculo”, poderosos magnatas de Hollywood ausentes e um papel “central” para as máscaras. O Oscar 2021 não correrá riscos em termos de covid-19, mas o evento ainda teria sido “impossível” apenas algumas semanas antes. A premiação será um espetáculo de três horas, “não serão como nada que já foi feito antes”, segundo o coprodutor Steven Soderbergh. A cerimônia será realizada apenas uma semana após a Califórnia liberar as vacinas para todos acima dos 16 anos, com taxas de infecção despencando. Os cinemas estão até sendo reabertos.

A cerimônia acontecerá na grandiosa Union Station, em Los Angeles, com os indicados ao Oscar 2021 socializando ao ar livre e depois entrando e saindo do local durante a apresentação. O tradicional tapete vermelho será drasticamente reduzido e a lista de convidados será tão limitada que até mesmo o poderoso chefe da Disney, Bob Iger, “não estará lá”, contou Soderbergh. Ao falar do pátio do local – onde apenas os indicados, seus convidados e um punhado de apresentadores vão conversar e beber – Soderbergh disse que espera que o Oscar dê ao mundo “um vislumbre do que será possível quando a maioria das pessoas for vacinada, e testes rápidos, precisos e baratos forem a norma”.

As máscaras vão desempenhar um papel muito importante na história desta noite”, acrescentou. “Se isso é enigmático, é para ser – mas esse tema é muito central para a narrativa.” Soderbergh e seus colegas produtores Jesse Collins e Stacey Sher estão mantendo muitos detalhes em segredo, mas indicaram que a natureza incomum e “esperançosamente única” de um Oscar da era pandêmica “certamente abriu uma oportunidade para tentarmos coisas que nunca foram tentadas antes”.

A cerimônia terá “a estética de um filme em vez da de um programa de TV”, incluindo o uso de “tomadas por cima do ombro do público” semelhantes às do cinema e formatos widescreen de alta resolução, revelou Soderbergh. A maioria dos indicados deve comparecer pessoalmente, com hubs preparados em Londres e Paris permitindo a participação de europeus que não possam viajar devido às restrições. Porém, apenas por meio de conexões de satélite no padrão da indústria, não por Zoom. Prêmios recentes foram criticados por seu intenso uso de videochamadas.