Destaques Entretenimento

Campanha pede volta da MTV

11 de agosto de 2020

Marcelo Adnet, Tatá Werneck e Dani Calabresa integravam a equipe do Comédia MTV, com Paulinho Serra e Bento Ribeiro. / Foto: Divulgação

‘’Emetevê, bota essa p#@#$% pra funcionar!’’, bradou Caetano Veloso, durante a transmissão do Video music Brasil (VMB) de 2004, depois de o sistema de som falhar repetidas vezes durante sua performance com o músico norte-americano David Byrne. A emblemática fala, que depois virou título de livro, ainda pode ser encontrada no YouTube, mas com baixa qualidade de vídeo e áudio, como é o caso de outros momentos marcantes da história da antiga MTV Brasil.

No próximo mês de outubro, completam-se 30 anos da chegada do canal dedicado à música no Brasil, a terceira versão da emissora no mundo e a primeira a ser disponibilizada em sinal aberto. Pertencente ao Grupo Abril, a MTV se manteve no ar durante 23 anos, encerrando suas atividades em 2013, quando foi substituída por uma nova MTV Brasil, operada pela empresa norte-americana Viacom como canal fechado.

A MTV Brasil original viveu uma trajetória marcada por polêmicas, sucessos, fracassos e crises, que hoje se transformaram numa lembrança nostálgica de VJs, programas, clipes e comerciais que fizeram história na TV brasileira e estiveram em sintonia com o comportamento dos jovens da época. As administrações dessas páginas lançaram a petição ‘’Eu quero a minha MTV de volta’’ na plataforma change.org.

‘’A petição surgiu a partir de conversas sobre como a MTV Brasil foi e é importante para a sociedade brasileira. Começamos a discutir o que poderíamos fazer para ajudar a disponibilizar o acervo e, como ‘a voz do povo é a voz de Deus’, pensamos em um abaixo-assinado para mostrar aos envolvidos que muita gente gostaria de ter acesso ao material produzido’’, afirma Caio Pinheiro, criador e administrador da página @amtvquedeucerto, que diariamente traz à tona vídeos da emissora. Até a semana passada, a petição contava com mais de 4 mil assinaturas.

Ele conta que a emissora era sua principal fonte de informação durante a adolescência, sobretudo no que diz respeito a novidades sobre música e comportamento. “Eu era aquele tipo de fã que assistia a toda a programação e tinha a emissora como uma amiga que conversava comigo.”

“Acreditamos que a produção nos 23 anos de MTV carrega não só um valor sentimental, mas também profissional para o público, ex-funcionários e artistas”, afirma Felipe Arcelino, que comanda o perfil @mtvbrasilmemories. “Afinal, esse material é uma cultura necessária e de extrema importância para a reflexão do telespectador em relação à história da música brasileira.”

Segundo ele, o acervo da emissora concentra registros históricos da música e da televisão. “Quando falamos sobre música, não podemos nos esquecer de muitas bandas que hoje são sucesso e que tiveram suas primeiras entrevistas e trabalhos exibidos na emissora, quando ainda tinham poucos anos de carreira.”

No Brasil, a MTV ficou marcada por colocar o jovem como protagonista e abrir espaço para discussões sinceras sobre música, sexo, drogas, AIDS, humor e política. Além do episódio com Caetano e David Byrne, outras momentos ganharam relevância, como o lançamento de clipes marcantes e de programas que revelaram nomes como Marcelo Adnet, Zeca Camargo, Astrid Fontenelle, Fernanda Lima, Marina Person e Tatá Werneck.