Destaques Educação

Desenvolvimento infantil preocupa pais e educadores

7 de agosto de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – O isolamento social alterou a rotina das famílias, deixando-as mais tempo dentro de casa, e a pandemia do novo coronavírus tem causado alterações no funcionamento dos serviços de saúde da Atenção Primária, em especial aqueles relacionados ao acompanhamento do crescimento e desenvolvimento de bebês e crianças. Com isso, pais de alunos e profissionais da educação estão preocupados com o desenvolvimento e com os estímulos cognitivos, motores e socioemocionais dos pequenos.

Mãe de duas meninas, Michele Vasconcelos comenta que sua maior preocupação é com a absorção das atividades durante o período de aulas remotas.

O ideal, para mim, seria que, quando recomeçassem as aulas presenciais, houvesse um reforço para readaptar as crianças de forma adequada. O que mais importa, para mim, é o aprendizado, conhecimento genuíno e não sei se a distância, as instituições conseguem suprir o ensino que seria presencial”, disse.

A secretária de Educação da Prefeitura de Passos, Zinete Guimarães Rattis, afirma que a equipe pedagógica está seguindo e aplicando as orientações e recomendações do Ministério da Saúde.

É possível, sim, acompanhar e estimular o desenvolvimento das crianças neste momento. Temos videoaulas destinadas à educação infantil, as professoras gravam pequenos vídeos levando em consideração o cognitivo e o emocional. Além disso, estamos trabalhando através de histórias, músicas, brincadeiras. Contamos ainda com aulas de psicomotricidade com professores especializados”, declarou.

A pedagoga Neulma Lima da Silva Leite Lemos, secretária de Educação de Delfinópolis, conta que o município tem 947 alunos participando do ensino a distância e há um foco maior na alfabetização.

Temos uma preocupação muito grande com todos os alunos, do pré até o 9º ano, porque, apesar de níveis diferentes, são anos importantes para a alfabetização. Tínhamos receio de como ensinar a ler e escrever sem ser presencialmente, a lidar com dificuldades, mas fomos surpreendidos. Tem muitos alunos que realmente aprenderam e, aos que tem dificuldades, tratamos de oferecer reforços individuais. Tem até profissional que vai à roça ajudar e auxiliar conforme as circunstâncias”, comentou.

No entanto, Neulma declara que a intenção é, assim que as aulas recomeçarem, realizar provas diagnósticas, revisar os assuntos e focar no aprendizado.

Nada substitui o carinho no ensino presencial, mas temos que nos adequar ao momento, então a escola está pronta para auxiliar em tudo o que for preciso. Pensamos sempre em aprimoramentos, os professores, por exemplo, começarão outra capacitação dia 19 de agosto, sobre alfabetização em meio à pandemia. Em meio a dificuldades, vamos caminhando para soluções”, ressaltou.

Por fim, Zinetti reforça a importância da participação dos pais no dia a dia das crianças.

Não queremos que vocês se tornem professores dos seus filhos, neste momento precisamos de uma parceria com a família. Aproveitem a oportunidade de estar mais com eles para procurar atividades que desenvolvam habilidades como paciência, concentração, compreensão, solidariedade e em que possam aprender a lidar com as frustrações. Essas habilidades são importantes para a vida e também para o retorno às atividades normais da escola”, afirmou a secretária.