Destaques Educação

Carmelitanos participam de exposição coletiva virtual em webinar da UFU

15 de outubro de 2020

Foto: Divulgação

Os carmelitanos Renato Soares e Fábio Martins estão juntos na Exposição Coletiva Virtual Espaço Virtual En[raizamentos] da / na imagem, que teve início na última terça-feira, 13, e segue até o dia 11 de novembro. O evento é uma parceria entre EVE.art – Espaço Virtual Expositivo e Núcleo de Pesquisa em Pintura e Ensino do Departamento de Artes da Universidade Federal de Uberlândia (NUPPE), que reúne alguns de seus artistas pesquisadores vinculados à linha de pesquisa “Pintura e Interface com outras Linguagens” e artistas convidados, formando um conjunto de dez expositores cujas produções se nutrem nas expressões da cultura brasileira. A exposição pode ser acompanhada em @eve.art.br e http://eve-art-br.blogspot.com.

A curadoria é do carmelitano Fábio Martins e também de Sérgio Rodrigues, e, o catálogo do evento ganhou capa do também carmelitano e expositor Renato Soares. Os expositores pesquisadores são: Alexandre França, Aninha Duarte, Elsieni Coelho, Fábio Martins, Flaviane Malaquias, Karina Sousa, Sérgio Rodrigues. Os convidados foram, André Reis, Renato Soares e Wigder Frota.

De acordo com Fábio Martins, a Cultura, compreendida como a grande raiz que dá sustentação às identidades de um povo, atravessa no Brasil um contexto de enfraquecimento político cujo marco emblemático foi a dissolução do Ministério da Cultura em 2019. Desde então, a área acumula sucessivos vilipêndios, em um processo atroz de podas indevidamente programadas cujo objetivo é o aniquilamento da Cultura que, em relação simbiótica com a Democracia, terá por consequência o aniquilamento desta. Faz-se mister que ações pró-cultura sejam disseminadas como pólen ao vento, como sementes que abrigam em si a potência do renascimento, se alastrem mesmo que em solo arenoso, e compreendemos que essa exposição assume esse caráter.

As pesquisas individuais apresentadas se vinculam entre si como rizomas nessa grande estrutura que nos constitui, ressaltando os enraizamentos da imagem fotográfica na(s) cultura(s). O conjunto apresenta diferentes prismas identitários, que vão desde a expressão étnico-cultural brasileira mais autóctone – a cultura indígena –, até as manifestações originárias de outras matrizes, como a religiosa cristã e afro-brasileira, que em diferentes níveis de sincretismo permeiam a dimensão do sagrado e alcançam as expressões festivo-profano-populares, que enraizadas na cultura, ressignificam e suas visualidades na encenação de narrativas que reforçam nosso vínculo ancestral, e desencadeiam na geração de novos produtos culturais. Os momentos / recortes registrados pelas lentes trazem a essência dos contextos de cultura investigados, e evidenciam percepções / olhares de verve pictórica: seja no cromatismo ou nos contrastes entre luz e sombra, nas sobreposições de planos, anas transparências e nas opacidades, ou mesmo na estrutura compositiva, temos a presença do enraizamento da fotográfica na pintura, o que nos mobiliza enquanto investigadores da linguagem plástico-visual”, informou.

A exposição é composta pelas imagens dos artistas Renato Soares [Ameríndios do Brasil]; Fábio Martins [Bastiões], Karina Sousa [Folias de Reis]; Elsieni Coelho [Empoderamento pela Cura]; Aninha Duarte [Ex votos]; Flaviane Malaquias [Fé em Movimento]; André Reis [Cores e Sons da Fé]; Alexandre França [Coleção Congadeiros]; Sérgio Rodrigues [Chapelaria Congadeira]; Sérgio Rodrigues a Carnavalesca][Cenogra e Wigder Frota [Escolas de Samba].

Foto: Divulgação