Economia

Taxa do empréstimo em alta

23 de abril de 2021

A pesquisa sobre a taxa de juros realizada pelo Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola de Proteção e Defesa do Consumidor do Procon-SP constatou que, em abril, a taxa média do empréstimo pessoal apresentou alta ante março, enquanto o encargo do cheque especial se manteve o mesmo. O levantamento foi feito no dia 5 deste mês nas instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Santander.


O que você também vai ler neste artigo: 

  • Média
  • Cheque
  • Cortes
  • Inflação
  • Influência

Média

No empréstimo pessoal, a taxa média dos bancos pesquisados foi de 6,10% ao mês. Assim, foi identificado um acréscimo de 0,02 ponto percentual em relação ao mês anterior, que foi de 6,08%. O Bradesco alterou sua taxa de 7,16% para 7,22%, representando uma variação positiva de 0,84%. O Itaú também majorou sua taxa de 5,91% para 5,97%, variação positiva de 1,02%. As demais instituições financeiras mantiveram suas taxas, segundo informações do Procon-SP.

Cheque

Já o cheque especial não apresentou alteração das taxas praticadas pelas instituições de um mês para o outro, ficando em torno de 7,96% ao mês. O Banco Central do Brasil, por meio da Resolução 4.765, de 27 de novembro de 2019, limitou a cobrança da taxa de juros do cheque especial para pessoa física em 8% ao mês. A resolução passou a vigorar em 6 de janeiro de 2020.

Cortes

Especialistas do Procon-SP orientam que o consumidor deve sempre avaliar seus rendimentos e despesas. Para assim, poder identificar onde é possível economizar e evitar gastos desnecessários. De acordo com os profissionais, o controle das finanças pessoais é a melhor forma de se livrar do endividamento.

Inflação

O Índice Geral de Preços – 10 (IGP-10) registrou inflação de 1,58% em abril deste ano. A taxa é inferior ao índice de 2,99% observado em março, mas superior ao de 1,13% de abril de 2020. Os dados foram divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Com o resultado, o IGP-10 acumula taxas de inflação de 9,16% no ano e de 31,74%, em 12 meses.

Influência

A queda do IGP-10 de março para abril foi puxada pelos preços no atacado e na construção. A inflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede o atacado, recuou de 3,69% em março para 1,79% em abril. O Índice Nacional de Custo da Construção passou de 1,96% para 1,24%, no período. Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede o varejo, subiu de 0,71% em março para 0,87% em abril.