Economia Destaques

Programa de manutenção de empregos, que termina nesta quarta, teve boa adesão

Por Talita Souza / Especial

24 de agosto de 2021

Foto: Reprodução.

PASSOS – O Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), previsto para terminar nesta quarta-feira, 25, tem tido boa adesão por parte de empresários de Passos. As empresas que aderiram ao programa deverão encerrar os acordos de redução de jornada e salário ou de suspensão de contratos. De acordo com o presidente do Sindicato dos Contabilistas de Passos e Região (SindCont), Antônio de Pádua Cardoso, desde que foi criado, após o início da pandemia de covid-19, em 2020, o BEm teve boa procura no município.

“Teve bastante procura [nos escritórios de contabilidade], principalmente, no ano de 2020. Com a prorrogação, também teve procura em 2021, mas, em menor intensidade, devido alguns setores já estarem adaptados com a diminuição do atendimento presencial”, relatou Cardoso.

Para o presidente do SindCont o programa foi fundamental para evitar que o número de desemprego aumentasse no município durante a pandemia do novo coronavírus.

“A impressão que temos é que, com o avanço da vacinação, a situação tende a voltar para a normalidade, com a liberação geral do funcionamento de todas as atividades comerciais, industriais e de prestação de serviços, o que tende a diminuir o desemprego como um todo”, disse.

Segundo Cardoso, a renovação do programa pode contribuir para os setores que ainda estão passando por dificuldades em Passos.

“Quanto à expectativa de renovação, eu não sei informar. Mas, pessoalmente, gostaria que o programa fosse estendido até o fim do ano, como forma de precaução e ajuda a setores que ainda passam por dificuldades”, afirmou.

O prazo do BEm pode novamente ser prorrogado, mas, para que isso aconteça, a medida precisa ser aprovada no Congresso. O texto substitutivo da Medida Provisória (MP) já foi aprovado pela Câmara dos Deputados na última semana e remetido ao Senado. Na versão aprovada, é permitido que o programa seja reeditado em futuras emergências de saúde pública ou de estado de calamidade.