Economia Destaques

Procura por carros seminovos cresce 30% em Passos

Por Talita Souza / Especial

22 de outubro de 2021

Segundo pesquisa, a procura por carros usados cresceu em torno de 16,41% entre janeiro e agosto deste ano no Brasil./ Foto: Reprodução.

PASSOS – Devido à alta demanda por carros seminovos e usados, que tem mantido o mercado aquecido, as transações de compra e venda têm se tornado uma alternativa de investimento. Segundo José Orlando Gersanti Freire, proprietário de uma concessionária em Passos, a procura por veículos usados cresceu cerca de 30% nos últimos três meses no município.

“De uns três meses pra cá, essa procura aumentou em torno de 30%. Antes disso, já havíamos notado um aumento de uns 50% na procura”, afirmou Freire.

Segundo uma pesquisa realizada pelo site Mobiauto, a valorização dos veículos cresceu 16,41% entre janeiro e agosto deste ano, índice bem acima de investimentos tradicionais como o Certificado de Depósito Interbancário (CDI), títulos do Tesouro e, até mesmo, algumas ações da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Na comparação, esses investimentos apresentaram alta de 1,83% a 4,15%, cerca de 14,58% a 12,26% pontos percentuais a menos que a valorização de usados e seminovos.

De acordo com Freire, a alta demanda tem sido por veículos com até três anos de uso, com preços que variam entre R$ 50 e R$ 200 mil.

“O mercado está bom para vendas, mas estamos com dificuldade de achar produtos para comprar. Acredito que enquanto as fábricas não voltarem a produzir como antes, a realidade vai ser essa. O pessoal está procurando veículos seminovos, numa faixa de preço de R$ 50 a 200 mil, que tenham entre dois a três anos de uso no máximo, independente do preço”, afirmou o proprietário.

Para um vendedor de automóveis em Passos, encontrar veículos seminovos para revenda está difícil.

“A demanda e a procura aumentaram sim. Aumentou bastante no conceito de seminovos, só que as concessionárias não tem prontidão. Uma coisa que vem acontecendo é que você não acha mercadoria para comprar e [quando acha] é com um preço muito lá em cima. Ou seja, acaba que a procura é grande, mas os negócios realizados não são tantos como esperado, poderia ser bem mais e o valor do dinheiro está cada vez pior, fazendo com que fique ruim para ambos os lados, tanto para carros zero quanto para seminovos. Achar mercadoria está muito difícil, tem muito pouco. Mas, quem tem, pede caro e, quem não tem, procura e não acha”, disse.

De acordo com o garagista Alziro Vicente, dono de uma concessionária de automóveis em Passos, a situação deve melhorar apenas no final de 2022.

“Essa situação não vai melhorar agora. Para termos carros novos, mais fácil, acredito que só para o final do ano que vem. Porque, hoje, uma concessionária vai pedir de quatro até oito meses para entregar um carro 0 km. E, hoje, está em falta é tudo, não é só o carro 0 km, não, material de construção também”, disse.

Ainda de acordo com Vicente, com a falta de carros 0 km no mercado, os preços de tabela subiram em média de 40%.

“O que vai acontecer, o 0 km está difícil, não consegue, aí o cliente não vende o usado e o usado começa a ficar caro. O carro novo mesmo, o 0 km hoje, um Hilux 2021 0 km, a tabela dela é R$ 297 mil, mas o comércio dela hoje está em R$ 320 mil. Um carro, de dezembro do ano passado pra hoje, sumiu na média 40%. E para o garagista, ficou foi mais difícil, porque está difícil pra comprar”, afirma.