Economia Destaques

Arrecadação da Receita em Minas cresce 18,8% em 2021 e atinge R$112,6 bilhões

26 de janeiro de 2022

Foto: Reprodução.

BELO HORIZONTE – A arrecadação total das receitas administradas pela Receita Federal na 6ª Região Fiscal atingiu, em dezembro de 2021, o valor de R$11,2 bilhões, registrando acréscimo de 11,63% em termos nominais e um acréscimo de 1,42% em termos reais (IPCA) em relação a dezembro de 2020.

Entre janeiro e dezembro de 2021, a arrecadação alcançou o R$112,6 bilhões, o que representa um acréscimo nominal de 28,59% e aumento real de 18,88% em relação ao mesmo período de 2020. Segundo informações da Receita Federal, o maior aumento nominal na arrecadação de dezembro de 2021 em comparação com o mesmo mês do ano anterior foi relacionado à Contribuição Previdenciária.

No período acumulado de janeiro a dezembro de 2021 os maiores aumentos de arrecadação, em relação ao acumulado no mesmo período de 2020, foram os relacionados à Contribuição Previdenciária, ao IRPJ, à Cofins e à CSLL. Como verificado nos últimos meses, apesar do maior efeito na arrecadação em termos nominais ser devido aos tributos citados anteriormente, pode-se dizer que o crescimento na arrecadação acumulada em 2021 em relação ao mesmo período de 2020 foi generalizado para quase todos os tributos.

No mês de dezembro de 2021 foi verificado um aumento de R$609 milhões dos débitos compensados na região em relação a dezembro de 2020, ou seja, aumento de 61,5% em termos nominais. As compensações tributárias no período de janeiro a dezembro de 2021 apresentam aumento nominal em torno de R$6,2 bilhões quando comparado com igual período de 2020 (59,1%).

Com relação à arrecadação por divisão econômica (CNAE) na região, as duas divisões com maior aumento da arrecadação nominal no acumulado de 2021 em relação a igual período de 2020 foram “Metalurgia Básica” com R$5,28 bilhões (114,4%) e “Comércio por atacado e intermediários do comércio” com R$ 2,12 bilhões (40,9%). Poucas divisões não apresentaram aumento da arrecadação em relação a 2020.