Economia Destaques

Região recebe R$30,7 milhões do Bolsa Família em 2021

Nathália Araújo / Redação

25 de janeiro de 2022

Em novembro do ano passado, o programa foi substituído pelo novo Auxílio Brasil./ Foto: Reprodução.

PASSOS – Os repasses do Bolsa Família na região chegaram a R$30,7 milhões em 2021, segundo balanço feito com base em informações divulgadas no Portal da Transparência da Controladoria Geral da União (CGU). O Bolsa Família, programa de transferência de renda do governo federal, prevê repasses a famílias com renda mensal per capita de até R$89 a R$178 e foi substituído, em novembro pelo Auxílio Brasil.

De acordo com o levantamento, Passos foi o município com maior valor recebido no Bolsa Família em 2021, (R$7,5 milhões), seguido por São Sebastião do Paraíso (R$4,7 milhões) e Piumhi (R$2,7 milhões). Com os menores números ficaram Fortaleza de Minas (R$177,8 mil), Doresópolis (R$181 mil) e São João Batista do Glória (R$205 mil).

Com a adoção do Auxílio Brasil, houve mudanças nas regras para inclusão das famílias no recebimento do benefício. Segundo informações do governo federal, integram o núcleo básico do novo programa o Benefício Primeira Infância, destinado às famílias que possuam em sua composição crianças com idade entre zero e trinta e seis meses incompletos, pago por integrante que se enquadre em tal situação; o Benefício Composição Familiar, destinado às famílias que possuam, em sua composição, gestantes ou pessoas com idade entre três e vinte e um anos incompletos, pago por integrante que se enquadre em tais situações e o Benefício de Superação da Extrema Pobreza, valor mínimo calculado por integrante e pago por família beneficiária do Programa Auxílio Brasil, cuja renda familiar mensal per capita, calculada após o acréscimo dos benefícios financeiros, for igual ou inferior ao valor da linha de extrema pobreza.

O novo programa prevê outras cinco modalidades complementares que são o Benefício Esporte Escolar, Bolsa de Iniciação Científica Júnior, Auxílio Inclusão Produtiva Rural, Auxílio Inclusão Produtiva Urbana e Benefício Compensatório de Transição. No Bolsa Família, caso um dos integrantes da família conquistasse uma renda mensal superior a meio salário-mínimo (R$550), era possível continuar no programa social por mais dois anos. No caso do Auxílio Brasil, para ter o mesmo direito é necessário que a renda individual não ultrapasse R$445. O Bolsa Família contava com sete benefícios, sendo um básico e seis variáveis.