Diversos

Características de imóveis que passam a ser sonho de consumo na pandemia

29 de abril de 2021

Durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, os bairros e imóveis, antes mais procurados, sofreram alteração. Uma coisa é certa: as pessoas estão valorizando cada vez mais suas casas.

A quarentena prolongada e sem data para terminar deixou todo mundo perdido, mesmo que no primeiro momento. Antes, era grande a procura por mobilidade e infraestrutura nas regiões centrais das cidades, agora essas mesmas escolhas foram questionadas.

As famílias e empresas passaram a ter novas rotinas: a necessidade do home office é uma delas que, em outros tempos, era algo desnecessário em muitas realidades. Hoje, as famílias pedem ambientes mais preparados.

Em meio à crise, alguns setores – como é o caso do mercado imobiliário – tiveram performance de recuperação econômica surpreendente, mesmo a economia tendo afetado o país.

Se em muitos casos, inicialmente a busca por locação de imóveis era para o período enquanto durasse a quarentena, hoje é possível observar o oposto: o desejo definitivo por se mudar para outras regiões.

A maioria dessas mudanças de comportamento surtiram efeito positivo, fazendo com que o setor de imóveis ganhasse mais tração nos últimos meses. Pois vem ganhando mais atenção daqueles que buscam por um imóvel, para morar ou investir.

Confira algumas características de imóveis que, devido à pandemia, passaram a se destacar:

 

Casas maiores

Na contramão do que o mercado vinha observando, a pandemia trouxe o interesse por espaços maiores e mais confortáveis, uma vez que as pessoas passaram a ficar em casa por muito mais tempo. Desbancando, os microapartamentos que antes eram apontados como a aposta para o futuro próximo.

Uma pesquisa realizada em 2020, com mais de 1,4 mil brasileiros em dois estados mostrou que 45% dos entrevistados manifestaram interesse por apartamentos maiores.

Imóveis residenciais com varandas, terraços, bem iluminados (de preferência por luz natural), um escritório bem estruturado, como afirma Fábio Tadeu Araújo, sócio Dirigente da Brain Inteligência Estratégica passam a ser o sonho de consumo.

 

Mais tempo na cozinha

As características de estilo de vida pós-Covid relativas aos imóveis apresentam aumento da utilização das cozinhas.

Na mesma pesquisa, 46% das pessoas ouvidas afirmaram que estão usando mais essa parte da casa.

 

Escritórios menores

Os apartamentos pequenos, kitinetes e studios próximos aos centros comerciais ainda são procurados, mas como o mundo teve que avançar rapidamente e a passos largos para as soluções digitais, foi possível perceber que morar em um local maior, mais arejado e que até seja mais afastado do trabalho ou da escola das crianças é viável.

No novo normal, as reuniões de trabalho são facilmente realizadas de casa, com a ajuda da internet. Essa facilidade alterou, temporariamente ou não, as necessidades de instalações das empresas.

Segundo pesquisa da Buildings, acredita-se que, só em São Paulo, 80% das organizações adaptarão suas rotinas de trabalho a espaços menores. Com isso observamos o cenário já mencionado: redução na metragem das empresas e melhoria na qualidade do home office.

 

O lazer é importante

O lazer é um ponto de destaque em relação aos efeitos provocados pela pandemia no mercado de imóveis. Afinal, sem a possibilidade de sair de casa por vários meses, as pessoas tiveram que se adaptar e aliar exercícios físicos, atividades recreativas e descanso, tudo dentro de casa.

Moradias com essas comodidades passaram a ser mais valorizadas pelos potenciais compradores.

 

Planta livre

Na Arquitetura, o termo planta livre se refere àqueles imóveis sem muitas paredes que fazem as divisões de ambientes. É comum que a sala de tv, sala de jantar e cozinha sejam integrados, podendo também não haver separação entre outros cômodos como home office.

Essa estrutura é bastante comum em lofts. Ela possibilita maior versatilidade ao morador que pode abusar da criatividade e transformar, de forma mais livre, os espaços utilizando mais elementos decorativos, móveis, etc. Por ser versátil, vem ganhando preferência.

 

A tecnologia facilita a busca pelo imóvel ideal

O segmento imobiliário está em constante procura por inovação. Sendo assim, para facilitar o processo de compra, venda e aluguel de imóveis existem inúmeras ferramentas e tecnologias que atendem as necessidades de conclusão das transações imobiliárias de maneira mais segura e rápida.

Uma dica é sempre recorrer aos simuladores, são úteis para entender o cenário e sem sair de casa, dar andamento na transação de compra e venda de imóveis. Um bom exemplo é a ferramenta desenvolvida pelo portal Agente Imóvel. Realizar comparativos online é uma forma de poupar tempo e dinheiro de maneira personalizada, ágil e segura.

Sobre a rotina de isolamento, ainda não é possível determinar se essas alterações serão permanentes na sociedade e passarão a integrar o hall de mudanças trazidas pelo “novo normal”.

Muitas perguntas feitas nesse momento ainda não possuem respostas. A certeza é que, à medida que o mundo avança, também com ele avançam os relacionamentos interpessoais.

No mercado imobiliário não é diferente. As novas relações humanas requerem agora, ainda mais entendimento de que não é sobre produto, mas sobre pessoas. E tudo isso com o toque da tecnologia.