Destaques Geral

Zema solicita autorização para comprar vacina russa Sputnik

26 de junho de 2021

Governo de minas solicita a anvisa autorização para importar doses vacinas da Sputnik produzida na rússia

BELO HORIZONTE – O Governo de Minas solicitou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorização para importação excepcional de doses da vacina Sputnik, produzida na Rússia. Segundo informações do governo, o Estado está em negociação comercial avançada com o Fundo Soberano Russo para a compra dos imunizantes. O objetivo é garantir a vacinação dos mineiros o mais rápido possível.

“Encaminhamos à Anvisa o pedido de autorização para a importação extraordinária da vacina russa, a Sputnik. Caso esta autorização seja emitida, o Governo de Minas já está negociando com o Fundo Soberano Russo, em estágio avançado, a aquisição de doses que vão possibilitar a imunização muito mais rápida de toda a população do estado. Seguimos trabalhando de forma incansável, com todas as possibilidades que existem no mundo para que o mineiro seja imunizado o quanto antes, estamos fazendo tudo o que é possível”, afirmou o governador.

A negociação leva em consideração diversos pontos, como prazo estabelecido para entrega. A expectativa é de que, caso a Anvisa aprove a importação, sejam adquiridas inicialmente 200 mil doses do imunizante. O quantitativo é referente à 1% da população mineira, o máximo permitido pela agência reguladora. Mas a negociação do Governo de Minas com o Fundo Soberano Russo segue avançada para a compra de mais doses.

Os ajustes finais para aquisição das vacinas foram debatidos em reunião emergencial na manhã desta sexta-feira (25/6) pelo governador Romeu Zema em reunião, por videoconferência, com os secretários de Estado de Saúde, médico Fábio Baccheretti; de Planejamento e Gestão, Luisa Barreto; Geral, Mateus Simões; e o advogado-geral do Estado, Sérgio Pessoa. Em função disso, a agenda do governador em Conselheiro Lafaiete foi alterada.

Minas Gerais recebeu, nesta quinta-feira (24/6), mais uma remessa de vacinas contra a covid-19. O 27º lote contendo 778.320 doses chegou ao Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins. De lá, a remessa seguiu para a Central Estadual de Rede de Frio para conferência de temperatura e armazenamento.

Os imunizantes chegaram em dois momentos: pela manhã, 346.800 doses da CoronaVac e 149.550 doses da Janssen; no início da tarde, 281.970 doses da Pfizer completaram o lote enviado pelo Ministério da Saúde.

Janssen

O governo mineiro recebeu, na última quinta-feira, o primeiro lote com vacinas contra a covid-19 fabricadas pela Janssen. Aplicada em uma única dose, esse é o quarto imunizante em utilização contra a doença no Brasil, junto com as vacinas Astrazeneca, Coronavac e Pfizer.

De acordo com o Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde, as 281.970 doses do imunizante Pfizer serão destinadas à continuidade do esquema vacinal das pessoas com comorbidade, gestantes e puérperas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente.

As 346.800 doses da Coronavac serão utilizadas para imunização das Forças de Segurança e Salvamento e trabalhadores da Educação do Ensino Básico e do Ensino Superior. Já as 149.550 doses da Janssen terão como destino a vacinação de pessoas com comorbidades e com deficiência permanente.

De acordo com governo estadual, caso algum município tenha completado o esquema vacinal de todas as pessoas de um grupo prioritário, e tiver dose disponível, poderá avançar na imunização de outros grupos prioritários elencados pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI), do Ministério da Saúde.