Destaques Geral

Volume de lixo coletado tem queda durante o isolamento

Por Ézio Santos / Especial

22 de Maio de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS –A quantidade de lixo domiciliar e comercial coletados em Passos diminuiu entre os meses de fevereiro e abril, durante as medidas de isolamento social. De acordo com a Ecsam Serviços Ambientais Limitada, empresa responsável pelo recolhimento no perímetro urbano de Passos, foram coletadas 2.059 toneladas em março, baixando para 1.998 no mês seguinte, e 1.786 toneladas no mês passado.

De acordo com Daniel Machado Lopes Ventura, engenheiro sanitarista e ambiental da Ecsam, não foi realizado um levantamento para saber os motivos da queda de 193 toneladas ao se comparar os dois meses de abril.

Geralmente, na região central das cidades do país, e em Passos não é diferente, se concentra a maior produção de lixo por causa dos estabelecimentos comerciais, principalmente os que servem refeições, lanches, produtos de padarias etc, mas suponho que o fechamento das lojas por determinado período, e mesmo depois da abertura flexibilizada, tenha refletido bastante, porque em março foram geradas 1.998 toneladas, enquanto que em abril, 1.786, ou seja, uma queda de 212 mil quilos”.

Daniel explicou que, no centro de Passos, o volume de lixo produzido é mais elevado porque a coleta é executada de segunda-feira a sábado, enquanto que nos bairros são em dias alternados. O engenheiro revelou que tanto os resíduos orgânicos, como os materiais recicláveis, principalmente plásticos e papéis, recolhidos aos caminhões de lixo têm o mesmo destino: o aterro controlado. “Em Passos existem associações de catadores de reutilizáveis. É sempre importante separá-los dos rejeitos”, ressaltou.

A reportagem apurou que em alguns bairros de Passos os materiais reaproveitáveis são separados dos resíduos e colocados nas ruas para que os catadores possam recolhê-los, venderem ou levarem até as cooperativas especializadas que comercializam diretamente com as indústrias de reutilização.

Vidros

Daniel contou que o pior problema enfrentado pelos funcionários da coleta são os vidros quebrados colocados nas ruas sem a devida embalagem pelos moradores.

Muitas vezes, mesmo com todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) os coletores acabam se cortando. É muito importante separar e identificar os vidros quebrados para que os funcionários não se machuquem”, lembrou.

A Ecsam, cuja sede administrativa se localiza em Bocaiúva do Sul, região metropolitana de Curitiba (PR), conta hoje com 109 funcionários em Passos, sendo 42 no setor de coleta, 29 recolhedores de lixo nas ruas e sete motoristas. São quatro caminhões compactadores em operação e um de reserva. O contrato com a Prefeitura de Passos vence em maio de 2022. “Temos interesse na renovação até o prazo máximo e pretendemos participar da nova licitação”, ressaltou Daniel.

 

A Ecsam conta hoje com 109 funcionários em Passos. / Foto: Divulgação