Destaques Do Leitor

Visitas e o coronavírus

13 de janeiro de 2021

Neste tempo de pandemia, visitar parentes e amigos não é aconselhável. A visita pode levar a tiracolo a covid-19 ou tê-la como companheira no retorno. Já tivemos notícias desse tipo de ocorrência. Eu não tenho visitado os meus parentes e amigos que residem em outras cidades.

Sinto saudade de todos. Sinto falta da comunicação cara a cara. Mas ressalto que, pelo conteúdo das mensagens que tenho recebido daqueles que fiz a cabeça para que votassem no então candidato Jair Bolsonaro, a melhor coisa que faço é continuar sem vê-los. Tenho recebido cada mensagem! Nunca vi tanto descontentamento.

Estou achando que o distanciamento entre nós continuará mesmo que acabe a pandemia. Recebo xingamentos que não tenho coragem de relatar aqui. Lá da minha terrinha já recebi o seguinte conselho: ‘Quando você sentir saudade daqui, peça para que um piloto de helicóptero sobrevoe com você a nossa cidade. Evite aterrissar’. Ah! Eu queria tanto voltar à minha terra. Eu não deveria ter feito a cabeça de ninguém.

Jeovah Ferreira – Taquari/DF


Tratamento diferenciado

Apoiadores de Donald Trump invadiram o Congresso nos Estados Unidos por não aceitar a derrota do presidente e a vitória de seu opositor, Joe Biden. O movimento foi violento e os vídeos que repercutiram nas redes sociais mostram ataques físicos, vandalismo e até mesmo mortes.

Os participantes da tentativa de golpe foram chamados de ‘manifestantes’ pelos canais midiáticos que divulgaram a notícia, mas é preciso questionar essa denominação, pois certamente, em outros casos, pessoas que agissem da mesma forma seriam denominadas golpistas e terroristas, o que demonstra um viés ideológico nessa escolha de denominação. É preciso repudiar a ação dessas pessoas que não respeitam a escolha democrática do país e agem de forma terrorista, incentivadas pelo próprio Donald Trump, que também não aceita sua derrota.

Ernesto Silva – Belo Horizonte /MG