Destaques Geral

Vigilância Sanitária interdita ESF no bairro São Francisco

Por Nathália Araújo / Redação

27 de outubro de 2021

Os serviços de atendimento foram transferidos para o ESF Planalto mas, segundo a prefeitura, deve retornar para um imóvel no bairro São Francisco./ Foto: Divulgação.

PASSOS – O atendimento no programa Estratégia Saúde da Família (ESF) do bairro São Francisco, em Passos, será realizado na unidade do bairro Planalto, na avenida Brasília, a partir desta quarta-feira, 27, segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde. A medida foi adotada depois que a Vigilância Sanitária interditou o imóvel onde funcionava o ESF São Francisco devido a condições inadequadas que colocavam em risco a saúde dos trabalhadores e dos cidadãos.

No documento de interdição, a Vigilância definiu um prazo de até três dias úteis para que a prefeitura realizasse adequações necessárias ou transferisse o atendimento. Entre as irregularidades apontadas estão danos na estrutura do imóvel, desorganização, exposição de fios elétricos, goteiras, grama alta, entulho espalhado, infiltrações, mofo, piscinas abandonadas, vazamentos e produtos vencidos.

A denúncia a respeito das condições de atendimento no local foi apresentada à equipe de Vigilância Sanitária pelos vereadores Aline Macedo, Francisco Sena, Luís Carlos do Souto Júnior (Dentinho) e Plínio Andrade. Os parlamentares pertencem a um grupo criado para fiscalizar as unidades de saúde.

“O local apresenta péssimas condições, principalmente tendo em vista a estrutura física que está bem danificada. Além disso, é importante lembrar que a situação daquelas piscinas aumenta o risco de dengue para a população. Quero parabenizar o pessoal da Vigilância que agiu muito rápido e também destacar que, nós, vereadores, continuaremos com a investigação em todas as unidades de saúde”, disse o vereador Plínio.

“Tem mau cheiro e muito lixo no imóvel ao lado, que pertence ao mesmo terreno. Vamos continuar cobrando para que o Executivo promova as obras de reforma com urgência e, até lá, que os serviços estejam disponíveis em um imóvel no bairro, para que não fique muito longe. Com as demais fiscalizações, já encontramos outros problemas e como exemplo está a falta de ginecologistas e extrema demora para a realização de exames de sangue e ultrassonografias. Se uma grávida precisar esperar, o bebê vem antes do exame”, disse o vereador Francisco Sena, membro da Comissão de Saúde da Câmara Municipal.

Segundo informações da prefeitura, o laudo técnico da Vigilância Sanitária ainda não foi expedido, mas um imóvel no bairro São Francisco será alugado no menor tempo possível, de modo que os serviços retornem para o local e facilite o acesso aos moradores. A Prefeitura também informa que o projeto de reforma do antigo prédio já está em fase de finalização.

Relatório

Segundo relatório feito pela equipe da Vigilância Sanitária, a unidade de saúde São Francisco “encontra-se em desacordo com as normais sanitárias vigentes, portanto, deverá passar por um processo de reestruturação predial, de processos e planos para que desenvolva suas atividades de maneira segura tanto para seus pacientes quanto para com seus colaboradores”.