Destaques Geral

Vigilância identifica criadouro de Aedes Aegypti na Casemg

Por Nathália Araújo / Redação

25 de novembro de 2020

Nos últimos dez anos, os bairros Cohab e Nossa Senhora da Penha foram os que tiveram o maior número de casos de dengue em Passos. / Foto: Nathália Araújo

PASSOS – A Diretoria de Saúde Coletiva de Passos fez um mutirão de limpeza nas dependências da antiga Companhia de Armazéns e Silos do Estado de Minas Gerais (Casemg), na terça-feira, 24. A ação, realizada pelo Núcleo de Zoonoses, ocorreu depois de ter sido identificado que o local se tornou o maior criadouro de Aedes Aegypti no município em razão de sua parte subterrânea estar alagada. O problema foi constatado após o desabamento da estrutura de ferro do imóvel, que permanecia trancada, sob domínio da União. Por este motivo, apenas a parte externa passava pelos processos de aplicação de inibidores de crescimento, hipoclorito e pulverizadores costais.

Foto: Nathália Araújo

Ao todo, o trabalho de limpeza contou com 45 profissionais, que atuaram para eliminar larvas, mosquitos e animais peçonhentos. Apesar disso, as substâncias utilizadas podem perder sua eficácia ao longo do tempo e, deste modo, a Secretaria Municipal de Saúde já entrou em contato com o Ministério Público Estadual, solicitando a definição urgente das medidas necessárias para que a situação seja resolvida – há sugestão para o escoamento de toda a água parada e aterramento das valas.

De acordo com Thiago Salum, diretor de Saúde Coletiva, nos últimos dez anos, a maior quantidade de casos de dengue foi registrada nas proximidades do imóvel, nos bairros Cohab e Nossa Senhora da Penha.

Há muito tempo, já desenvolvemos este trabalho de pulverização aqui como ponto estratégico, mas como o local era fechado e coberto, ficávamos muito limitados. Com o desabamento, fomos alertados sobre as condições sanitárias do espaço e, então, localizamos muita água parada na parte subterrânea. Sem dúvidas, este criadouro é o maior problema da cidade e precisamos tomar providências imediatas para conter a reprodução dos mosquitos”, esclareceu.

Foto: Nathália Araújo

Para Oswaldo Rattis Júnior, coordenador do Controle de Zoonoses, a população deve se atentar aos cuidados para evitar possíveis doenças.

No ano passado, houve uma epidemia nesta região e até chegamos a receber denúncias sobre o local, mas foi impossível realizar a vistoria. O ideal é que as pessoas evitem o acúmulo de lixo e água parada, mantenham as casas bem limpas e os ralos lacrados. Vamos fazer o que for preciso para que a situação seja resolvida o mais rápido possível e contamos com o apoio de todos”, destacou.

Na mesma semana em que houve o desabamento, o governo federal anunciou que a posse do terreno poderia retornar para a Prefeitura Municipal de Passos, uma vez que o processo de extinção da Casemg chegou ao fim nas 27 cidades que receberam unidades do empreendimento. Com a atual situação do imóvel, uma análise da Consultoria Jurídica da União deve ocorrer nos próximos meses para que a questão seja resolvida