Destaques Geral

Verônica canta solitária e sem presença de fiéis em Alpinópolis

5 de abril de 2021

ALPINÓPOLIS – Mais uma vez, a celebração da Semana Santa está sendo diferente em Alpinópolis em função das medidas sanitárias adotadas para o enfrentamento ao coronavírus. Como em 2020, a Paróquia de São Sebastião não deixou de cumprir a programação característica dessa época, porém sem a presença física da comunidade católica nos templos. As cerimônias vêm sendo realizadas e transmitidas por meio das redes sociais e pela rádio comunitária local.

A Semana Santa sempre foi um período de grande apelo religioso e cultural em Alpinópolis, isso desde os tempos de São Sebastião da Ventania. No entanto, uma das mais antigas tradições da cidade, o Canto da Verônica, entoado no decorrer da procissão do Senhor Morto, novamente não foi realizado na presença da multidão, como de costume. A tradição não deixou de ser cumprida, porém a Verônica, pelo segundo ano consecutivo, cantou sozinha e sem o acompanhamento das Beús, já que as participantes são, no geral, mulheres de mais idade e, portanto, pertencentes ao grupo de risco.

Na celebração desta sexta-feira, 2, ocorrida na Matriz de São Sebastião e conduzida pelo padre Donizetti Brito, a ritualística foi seguida como de costume, contudo sem fiéis presentes no templo. Após o rito do descendimento da cruz – quando a imagem de Jesus é retirada do madeiro, levada ao colo de Maria e, por fim, colocada no esquife – foi proferido o Sermão das Sete Palavras – reflexão sobre as últimas palavras ditas por Cristo antes da morte – e, em seguida, entoado o canto da Verônica. A consumação de toda essa liturgia foi transmitida, em tempo real, pelas redes sociais (YouTube e Facebook) e também pela Rádio FM Ventania.

Já a procissão do Senhor Morto não foi realizada, obviamente, devido às recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para que sejam evitadas, em qualquer hipótese, aglomeração de pessoas. Como tal cortejo é um dos eventos que reúne o maior número de participantes em Alpinópolis – em 2019 foram 10 mil pessoas, de acordo com a Polícia Militar – a paróquia optou, obviamente, por não realiza-lo.

Mesmo diante das limitações impostas pelo novo coronavírus, é fato que a Sexta-Feira da Paixão não deixou de exercer profundo fascínio junto à população católica alpinopolense. A mística e o aspecto melancólico permaneceram incólumes no momento em que a Verônica desenrolou o sudário e cantou, para as câmeras e microfones, a conhecida canção que é, na verdade, uma adaptação das Lamentações de Jeremias (Lm 1,12). Foi a segunda vez que essa tradição, cultivada na cidade desde 1885, aconteceu sem público presencial. A primeira vez foi no ano passado, quando o mundo já era fustigado pela pandemia.