Destaques Política

Vereador quer reduzir salários de políticos e secretários em Paraíso

14 de abril de 2020

S.S. PARAÍSO -O presidente da Câmara de Vereadores de São Sebastião do Paraíso, Lisandro José Monteiro, anunciou em uma rede social que apresentará projeto propondo a redução salarial de políticos e servidores comissionados do município. Caso seja aprovada, a lei só poderia entrar em vigor a partir de janeiro de 2021.

Segundo o líder do Poder Legislativo, a proposta vem sendo estuda há tempos e deve ser apresentada aos colegas vereadores logo que as sessões voltarem a ser realizadas. “Já venho estudando este projeto há um bom tempo, pensando em como poderia contribuir para enxugar a máquina pública e recurso voltar em forma de benefício à população. Os salários são muito altos, há tantas pessoas que trabalham voluntariamente em prol do povo e não ganham nada, então não se justifica um cargo público ter salários tão altos”, disse.

De acordo com Lisandro, a intenção do projeto é reduzir, consideravelmente, os salários do prefeito, do vice, dos vereadores e dos comissionados. Atualmente, o líder do Executivo tem seus vencimentos na casa dos R$21 mil; a vice-prefeita recebe cerca de R$10,8 mil; o secretariado tem salário de R$7,5 mil e os vereadores ganham R$6,2 mil por mês. Com a proposta, salário do prefeito baixaria para R$9,5 mil; o vice passaria a receber em torno de dois ou três salários-mínimos; o vencimento dos secretários seria reduzido a R$4 mil e os vereadores ganhariam cerca de dois salários-mínimos. “É um salário digno e dá para viver muito bem em uma cidade como São Sebastião do Paraíso”, ressaltou o presidente da Câmara.

O vereador aproveitou a transmissão para falar sobre “brigas entre políticos e imprensa”, ocorridas no município no momento em que as atenções de todos deveriam estar voltadas para a pandemia do novo coronavírus e suas consequências no setor da economia. “Estamos vendo o exemplo lá fora. Precisamos parar com politicagem e fazer o que é humano, ter amor pelo próximo. Em meio a todas essas discussões, eu não vi nenhum deputado, vereador, prefeito falar sobre o político. Eu ia colocar este projeto em pauta na sessão anterior, mas ele estava sendo analisado pelo jurídico. Agora, com tudo certo, vou apresentá-lo na próxima sessão. Que fique aqui o meu legado e que os outros municípios compartilhem esse exemplo, que compartilhe com o Brasil”, concluiu Monteiro.

Conforme o Artigo 18 da Lei Orgânica do município de São Sebastião do Paraíso, a remuneração dos agentes políticos deve ser fixada pela Câmara no último ano da legislatura, até 30 dias antes das eleições municipais, vigorando para a legislatura seguinte, ou seja, o quadriênio 2021/2024.