Destaques Economia

Vendas de mel e derivados crescem na região de Cássia

15 de julho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

CÁSSIA – De acordo com apicultores da região de Cássia, as vendas de mel e própolis subiram em média 60% no período de pandemia. Eles ressaltam que os estoques estão acabando e a próxima colheita já está praticamente vendida. O apicultor Ednaldo Donizete Rossato, que processa cerca de 600 kg de mel por ano, relata que suas vendas tiveram um grande salto, superando as expectativas.

Desta vez, devido à pandemia, todos estão buscando alimentos naturais, e minhas vendas aumentaram mais de 100%”, afirmou.

Atualmente, a Associação de Apicultores de Cássia e Região (AACAR) conta com aproximadamente 50 apicultores – pequenos, médios e grandes –, que estão mais perto de ver o projeto da Casa do Mel virar realidade. Recentemente, a prefeitura realizou a entrega do terreno em que será feita a construção do Entreposto para Manipulação e Comercialização de Mel e Derivados.

De acordo com Samanta Maria Faleiros Corrêa, médica veterinária responsável pelo Serviço de Inspeção Municipal de Cássia (SIM), o entreposto irá alavancar o setor em Cássia e região, pois os apicultores poderão formalizar suas atividades.

Isso poderá estimular novas pessoas a ingressarem na apicultura, os produtos oriundos de abelhas poderão ser mais divulgados e isso aumentará o consumo de mel e própolis pela população”, declarou.

O mel tem uma função direta como alimento que promove estímulo à imunidade e, com a pandemia, isso ficou bem evidente. Dar oportunidade para que o apicultor se formalize é sem dúvida um grande avanço”, completou a médica veterinária.

Para Ednaldo, a Casa do Mel será a realização de uma conquista há muito tempo esperada pelos associados da AACAR, pois será o local mais adequado para manipulação dos produtos.

Com isso, os produtores podem ganhar novos mercados, sem falar que a implantação de mais colmeias na região iria beneficiar outros produtores rurais, em especial os cafeicultores, pois as abelhas têm um papel fundamental na polinização das plantas”, comentou Rossato.

A Casa do Mel é um projeto que ainda está em desenvolvimento, e o processo será mais demorado em função da pandemia, mas a perspectiva é que a construção seja realizada em um prazo de 12 meses.

O dinheiro está sendo levantado pela associação, e a impossibilidade de realizar eventos atrapalha um pouco, mas não faltam esforços e, no momento, espera-se a colheita do mel para que algumas vendas do produto possam ajudar”, disse Samanta.

Segundo o prefeito de Cássia, Marco Leandro de Almeida Arantes, o Kito, o Festival do Mel, que está na sua 3ª edição, será realizado mesmo que de forma remota, visto que é um grande impulso para a atividade na cidade.

Além disso, tanto a prefeitura quanto a Central de Associações de Produtores Rurais de Cássia (Cearca) afirmam que a proposta da Casa do Mel está bem alinhada com a vontade dos apicultores, que esperam ter sua atividade reconhecida para comercializar legalmente seus produtos. A produção de uma colmeia pode chegar a 40 kg de mel/ano e, com o impulso, a produção de todas as colmeias da região poderá chegar a 15 mil kg/ano.