Destaques Geral

Vacinação contra aftosa atinge 99,8% do rebanho

Por Nathália Araújo / Redação

25 de agosto de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – A vacinação contra a aftosa atingiu 99,83% do rebanho de bovinos e bubalinos da região. De acordo com informações do Sindicato dos Produtores Rurais de Passos (SinRural), quase todos os 119.503 animais receberam a primeira dose da vacina contra a doença. O prazo para comprovar a primeira etapa foi encerrado em 30 de junho. Todos os bovinos e bubalinos, com até dois anos de vida, devem receber a imunização.

Em relação às 1.109 propriedades da região, 97,93% estão em dia com os registros. Devido ao atual cenário de pandemia do novo coronavírus, foram estabelecidas algumas mudanças para a campanha de 2020, possibilitando que as doses fossem vendidas por meios remotos, com entregas realizadas diretamente nas propriedades. Além disso, as declarações de imunização também podiam ser apresentadas nos canais digitais, respeitando as datas.
A febre aftosa é uma infecção aguda que, além da febre, causa aftas na boca e nas patas dos animais. A doença pode ser disseminada pelo ar ou pelo fluído das vesículas, do sangue, da saliva, do leite e das fezes, o que aumenta o risco de contágio entre um rebanho e outro.

Em poucos casos, os animais vão a óbito em decorrência da febre aftosa, no entanto, existem grandes efeitos comerciais causados pela presença da infecção. Por conta do alto poder de propagação do vírus, os países importadores de mercadorias brasileiras não costumam comprar de produtores que não vacinaram os animais ou que vivem em locais que apresentam registros da doença.

Os pecuaristas que não vacinaram os rebanhos estarão sujeitos ao pagamento de 25 Unidades Fiscais do Estado de Minas Gerais (Ufemgs) por animal não medicado, o equivalente a R$ 92,79. Ademais, poderão ter suas propriedades rurais interditadas, impedindo que o gado seja comercializado. Para quem ainda não está em dia com os documentos, o Núcleo de Defesa Agropecuária deve emitir uma autorização para permitir que o rebanho receba a vacina fora do período de campanha.