Destaques Opinião

Vacina contra o totalitarismo

POR PAULO NATIR

13 de janeiro de 2021

Atrasado, o país assiste, passivamente, dezenas de nações ao redor do planeta vacinando suas populações. É extremamente triste saber que mais de 200 mil brasileiros perderam suas vidas ao serem contaminados pelo novo coronavírus. Todos nós perdemos alguém ou conhece a família de uma vítima fatal da famigerada covid-19. A região já totalizou cerca de 200 mortes.

O articulista Luiz Negrinho registrou aqui, no último domingo, a necessidade de responsabilizar o presidente da República por esse imenso genocídio. Jair Bolsonaro é o pior líder mundial no combate dessa grave pandemia. Foi só ele dizer que covid estava no finalzinho para os casos da doença voltarem a avançar no país e no mundo inteiro.
A vacina que poderá nos proteger deverá estar a nossa disposição no final desse mês de janeiro, em uma previsão otimista. Até lá o isolamento social parece ser o melhor remédio, além da máscara e do álcool em gel. Isso é fundamental.

Muitas cidades brasileiras já estão com a rede hospitalar a um passo do colapso. Em diversos municípios já acontece o que previu aqui na Folha o médico Dr. Eurípedes. Uma fila enorme de pacientes precisando de respiradores ou um leito de UTI ou enfermaria. Um dilema muito pavoroso. Ao beneficiar um paciente outros tantos poderão ter suas vidas ceifadas.

A Ameg (Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Grande) deverá apresentar hoje um decreto coletivo para tentar conter o aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus na região. O documento deverá conter medidas mais restritivas em virtude do aumento no número de casos.

Todos nós devemos participar efetivamente do combate à doença. Principalmente os mais jovens devem ter consciência para não se contaminar e colocar em risco a vida dos parentes mais idosos ou pacientes que já enfrentam tratamento em virtude de outras doenças. Que sejamos solidários.

Registro aqui total repúdio ao comportamento do líder de uma das nações mais desenvolvidas da Terra. Donald Trump é o grande responsável pela então improvável invasão ao Capitólio. Até um invasor fazendo apologia ao nazismo foi flagrado no meio daquela baderna.

Pior do que o presidente norte-americano só mesmo Jair Bolsonaro que disse ter certeza da ocorrência de fraudes na eleição de Joe Biden. O presidente brasileiro foi além e ainda disse que no Brasil poderá ocorrer “coisa pior” se ele sair derrotado nas urnas eletrônicas na próxima eleição presidencial. Tirem o copo do presidente! Feliz 2021 a todos…!

PAULO NATIR é jornalista.