Destaques Dia a Dia

Uma Grande Manifestação

29 de julho de 2020

No meio de minha papelada encontrei um antigo folheto datado de 1942. Nele há vários discursos proferidos em um comício no adro da Igreja Matriz, com a Praça Getulio Vargas (Monsenhor Messias) toda tomada por uma massa popular. No folheto há registrado os discursos dos seguintes oradores: Dr. Washington Álvaro de Noronha, Elza Alves Costa (em nome da mocidade de Passos), Elói Silveira Reis (diretor do Colégio de Alpinópolis), Dr. Armando Silveira (advogado e professor), Jair Santos (diretor do Grupo Escolar de Passos), Pedro Ribeiro (representante do Povo de São João Batista do Gloria), Ananias E. Campos (inspetor Escolar Municipal), discurso do homenageado Dr. Lourenço F. de Andrade. E entre outros, escolhi e fiz um resumo para constar aqui hoje do discurso do ex- deputado, poeta e médico Dr. Bernardino Vieira, que na ocasião veio à Passos participar desse comício:

“Meus senhores: Lá em Conceição Aparecida, onde moro, eu soube desta grandiosa homenagem e aqui vim para render convosco este preito de admiração e justiça à Lourenço de Andrade. É assim, meus senhores, que eu vos quero falar: com o coração vibrando nos lábios em palavras que brotam da alma espontaneamente como um pássaro que canta. Falar de Lourenço de Andrade é distinguir três individualidades em uma só pessoa. O médico, o político e o grande administrador. O médico remodelou a Santa Casa de Passos, dotando-a de aparelhamentos modernos da medicina, transformando-a numa das melhores Casas de Saúde do Estado.

Como médico distribui ali todos os dias a bondade de seu coração, caridoso com os pobres sem recurso, em busca de abrigo e de conforto para os seus males. E cá fora, na clínica civil, trabalha incansavelmente e, muitas vezes no turbilhão voraginoso das moléstias ainda sofre a dor alheia. Como político elevou o nome de Passos tornando-a uma cidade de mais prestígio junto dos Governos do Estado e da União. E como administrador o que vos posso dizer é que o melhor discurso aqui hoje é feito pelo próprio Lourenço de Andrade.

Feito de atos e não de palavras. E os atos falam mais alto, são mais eloquentes do que todos oradores. Relancemos senhores, os olhos para quinze anos atrás. Não tínhamos esta praça maravilhosa que é uma verdadeira jóia refulgindo no seio da cidade, encantando a todos que nos visitam. Não tínhamos estas ruas bem calçadas e limpas por onde deslizam os belos automóveis que fazem o encanto da vida moderna. Não tínhamos as boas autovias que cruzam o Município em várias direções ativando o comércio e a nossa saúde econômica. Não tínhamos rede de esgoto e o abastecimento de água que são fatores de civilização indispensável numa cidade moderna.

Não tínhamos a Escola Normal que coloca o saber ao alcance de todos facilitando a instrução. Por conseguinte meus senhores, nesta hora amarga que vivemos, o Brasil acima de tudo, sejamos superiores, passemos uma esponja no passado. Nem Patos e nem Perus. Aceitai, Lourenço de Andrade, esta pequena saudação que vos faço em nome deste povo culto, dinâmico e trabalhador. Ela é pequena, mas, como sabeis o grande nasce do pequeno.

A pupila é um ponto, no entanto abrange as dilatações vagas, imensas do horizonte. O cérebro é pequeno, no entanto, é o ninho desta águia gigantesca, de asas infinitas que voa da terra ao céu. Esta saudação é pequena mas resume a alma deste povo que é grande no preparo da terra de onde extrai as esmeraldas ricas dos nossos grandes canaviais, de onde faz pompear à luz o lençol de prata dos nossos algodoais. Povo que é grande no comércio, na indústria, em todas as suas atividades, mas que é maior ainda numa hora como esta pela sua gratidão e pela justiça. Viva Lourenço de Andrade. Viva Benedito Valadares. Viva Getulio Vargas!”

Enfim, esse comício aconteceu em 25 de janeiro de 1942 de apreço e apoio ao prefeito Dr. Lourenço de Andrade devido o prenúncio de uma possível queda de seu poder que já durava 15 anos, e que veio acontecer três anos após essa manifestação pública que reuniu vários segmentos da sociedade do município de Passos. É o tempo passando e a gente “Memoriando”!