Destaques Do Leitor

Um tal de Jesus Cristo…

28 de outubro de 2020

Sendo o Brasil um país laico, as pessoas podem escolher suas crenças, seitas ou religiões. Assim, temos de conviver pacificamente entre nós. Existe liberdade para acreditar no que quiser e desacreditar também. É um direito ser ateu, agnóstico ou ter crenças. Não acreditar ou não aceitar a crença de outros, é um direito. Não é direito manifestar tal posição publicamente com desrespeito ou deselegância. Temos visto pessoas desprezarem a figura de Jesus Cristo de forma até grotesca. Essas pessoas não são obrigadas a aceitar e nem acreditar em Jesus Cristo, que para os cristãos é a segunda pessoa da Santíssima Trindade. Mas, não deveriam referir-se a Ele com desdém. Respeitar a fé alheia é bom, é educado. Assim como, deve-se respeitar quem não professa nada. Há quem faça charges de Jesus Cristo e críticas ofensivas aos cristãos e a outras crenças. Como não há reação a isso, continuam fazendo.

Agora, lembremo-nos do que aconteceu na França, quando ridicularizaram um líder maior de uma religião do mundo árabe. Será que, por aqui, tais pessoas corajosas contra os cristãos e outros, teriam o mesmo arrojo de desdenhar tal líder, já que conhecem as possíveis consequências? O líder religioso a que me refiro é sagrado para seus seguidores, assim como, Jesus Cristo é sagrado para os cristãos. É bom que tudo permaneça assim, a despeito dos adversários ou inimigos dos dois. Os incrédulos têm o direito, quanto a Jesus Cristo, de não O aceitar, mas, não devem expressar-se dizendo: “Foi um tal de Jesus Cristo quem…” Lá na sua intimidade ou na sua consciência, cada um responde por si.

Professor Luiz Guilherme Winther de Castro – Carmo do Rio Claro/MG