Destaques

Último imóvel da Talento é leiloado e Justiça homologa venda

12 de novembro de 2020

Em outubro de 2019 alguns dos mais de 160 ex-funcionários da empresa Talento fizeram uma manifestação na porta do Fórum. / Foto: Helder Almeida

PASSOS – A novela que envolve os mais de 100 funcionários da Talento e dura vários anos parece estar próxima do fim. A empresa, que chegou a ter 601 pessoas trabalhando, após o fechamento, teve quatro de seus imóveis sequestrados pela Justiça e, nesta quarta-feira, 12, houve a homologação da venda realizada na terça-feira, 11, do último bem que restava a ser leiloado. O imóvel foi vendido pelo valor de R$1.612.500.00 para um investidor passense.

De acordo com o documento de homologação da Justiça do Trabalho, do Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região uma Ação Civil Coletiva foi aberta em 17 de abril de 2018. O autor da ação é o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Confecção, Calçados e Estamparias de Passos e Região (STICCEP) contra a Talento Indústria e Comércio de Confecções. E, a empresa responsável pela realização do leilão foi Mariano Imóveis.

O juiz do Trabalho Substituto, Victor Luiz Berto Salomé Dutra da Silva, deferiu a arrematação do imóvel penhorado, que foi comprado em leilão por Antônio Benedito da Silva. O magistrado solicitou também a Juízo da 2ª Vara Criminal e da Infância e Juventude de Passos nos autos do Processo nº 078147-31-2017.8.13.0479, o levantamento do sequestro gravado sobre o imóvel tendo em vista a arrematação consumada, sub-rogando-se a cautelar criminal no produto da alienação.

Ainda conforme o juiz, na homologação, pediu que fosse informado ao juízo criminal que, após o registro desta última carta de arrematação, todos os valores arrecadados neste juízo especializado (R$5.282.459,33) serão transferidos à jurisdição penal, visto que exaurido o rol dos quatro imóveis alvos da cooperação jurisdicional.

O bem leiloado foi um imóvel urbano com área de 3.309,47 m2 localizado na Avenida Comendador Francisco Avelino Maia, com benfeitorias, particularmente um barracão, avaliado por R$3.225.000,00. O imóvel não poderia ser vendido por preço inferior a R$1.612.500,00 correspondente a 50% do valor da reavaliação. Outros três imóveis também foram vendidos com 50% do valor inicial.


Sindicato

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Confecção, Calçados e Estamparias de Passos e Região (STICCEP), Maria Deide dos Reis Alves lembrou que a situação dos ex-funcionários é crítica já há anos.
Em outubro de 2019 alguns dos mais de 160 ex-funcionários da empresa Talento fizeram uma manifestação, na porta do Fórum de Passos para cobrar a liberação de recursos obtidos com os leilões de imóveis da empresa, para o pagamento de verbas rescisórias.

Os trabalhadores estão cada dia mais indignados e necessitados. E, agora podemos dizer que a Justiça do Trabalho, cumpriu a sua parte daquele fatídico acordo realizado em audiência no dia 19 de dezembro de 2019 e vendeu os bens todos. Mas, infelizmente o Ministério Público voltou atrás no acordo e deu parecer para que não se pague a parte combinada aos trabalhadores e que o dinheiro fique sequestrado até ser julgado o recurso do Estado. E, para piorar a situação dos trabalhadores, o juiz criminal seguiu a linha e acatou o parecer do MP. E agora?”, questiona Deide.