Destaques Dia a Dia

Troféus

6 de junho de 2020

Puxa vida! É gostoso ganhar um prêmio de reconhecimento. Tive a sorte de recebê-los como odontopediatra e professor universitário em tempos passados. Agora por estes escritos, como o que me foi conferido pelo Jornal Gente e entregue em noite de gala, na marraia semana de março. Equivale a um certificado que passamos da fase do “maisoumenos” coroando a acolhida do leitores através dos vários milhares de livros adquiridos por aí. Obrigado, Dom Mark e… bamo infrente!!!
Outro motivo de felicidade e prova de que estamos agradando é a constatação de que algumas histórias aqui contadas, nestes dez anos de Folha, vêm sendo multiplicadas e recontadas por articulistas em diversos jornais na região.

Istur dia, na topada septedienal com o meu preclaro (desculpa o plágio, Ezinho!), preescuro, prebem, premal, prequalquersituação amigo dr. Belchior Figueiredo, recebemos a comunicação de um novo concurso onde nossos nomes cronistas entravam em disputa, por voto, no gosto popular.

A princípio, ele torceu o nariz quando constatou a veracidade do fato e por estar em baixo de mim – no voto impresso na Folha. Depois principiamos um passeio filosófico sobre este tipo de concurso, os egos envolvidos – e ego de escritor é crescidíssimo! -, se suportaríamos uma derrota ou se vibraríamos igualzinho o Bambam ao vencer no Grande Irmão Global, terminando por definir nosso voto: por unanimidade, resolvemos ambos nós dois emplacar nosso xis no David Hungaro, como mestre pescador; no Ponsancini, como mestre em artes manuais; no Gustavo, como mestre teatrólogo; nimim, como mestre odontólogo e nele como o mestre doutor chefe de TFD de Passos.

Só uma questã de dividir o prêmio fisicamente e, se indivisível, considerarmo-nos premiados in totum et cum sensum.

Aliás, elocubramos, há uma grande injustiça em se manter a premiação apenas em determinados círculos top e a pessoas cujas oportunidades de vida são evidentes. Resolvemos, ainda por unanimidade dos dois, lançar, abraçar e levar a cabo um evento de premiação a determinados profissionais e serviços prestados tais como:

Melhor Marmita (nas categorias marmita de 5 andares e marmitex de domingo);

Melhor Pedreiro (categorias de acabamento e meia/colher);

Melhor Pintor (categorias muro e rodapé);

Melhor Furador de Cisterna (categoria única- prá baixo);

Melhor Sapateiro (categorias meia sola e costura de língua);

Melhor Vendedor de Bilhetes de Loteria (categorias tradicional -federal, mineira, lotos, esportiva, sena etc- e de azulzinha);

Melhor Borracheiro (categorias com câmara e sem câmara);

Melhor Mototaxista (categorias do que ultrapassa pela esquerda e do que ultrapassa pela direita);

Melhor Empregada Doméstica (categoria a que não leva a patroa na justiça e a que limpa debaixo do tapete);

Melhor Boteco (categorias com sinuca e com truco);

Melhor Quituteiro (categorias coxinha com recheio e croquete com bula anunciando a composição e antídoto);

Melhor Guarda-Noturno (categorias empresa e de apito na rua);

Melhor Porteiro (categorias leão de chácara e assentador de porta);

Melhor Chapeiro (categorias que não mete o mãozão no sanduiche e que não espirra sobre a carne na chapa);

Melhor Garçon (categorias de festa de casamento que estica o horário e de bar que não se esquece do freguês);

Melhor Bicheiro (categorias capacidade-aceita aposta de R$10,00 na milhar- e pontualidade no prêmio. Obs. Não está em jogo a honestidade. Honesto todo bicheiro é);

Melhor Político (Sem Categoria)

Meu amigo leitor, por obséquio, ajude na complementação desta lista e suas (in) devidas categorias.