Destaques Política

Tribunal de Justiça inaugura Cejusc em Guapé e Jacuí

23 de setembro de 2021

o Cejusc de guapé vai funcionar no fórum, localizado na praça Doutor Passos maia

BELO HORIZONTE – O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) inaugurou, na última terça-feira, o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) em Guapé e em Jacuí. As inaugurações ocorreram em solenidade semipresencial e as unidades serão coordenadas pelo juiz Talvaro Possamai.

Segundo o TJMG, nos Cejusc são realizadas audiências de conciliação e sessões de mediação, em casos já judicializados ou não, e as unidades também servem para outras práticas autocompositivas para a obtenção de acordos entre as partes, além de oferecer serviço de orientação e encaminhamentos em caso de necessidades que não são da competência do tribunal. Atualmente, já são 257 centros em Minas. A previsão é que, até junho de 2022, todas as 297 comarcas mineiras contem com seu próprio Cejusc.

As Comarcas de Guapé e Jacuí compõem-se, respectivamente, do município de Guapé e do distrito de Araúnas e dos municípios de Jacuí e Fortaleza de Minas. O Cejusc de Guapé funcionará no Fórum, na Praça Doutor Passos Maia, 310, Centro. O endereço do Cejusc de Jacuí, sediado no Fórum Doutor Geraldo Ernesto Coelho, é Rua Coronel Procópio Dutra, 519, Centro.

O juiz Talvaro Possamai, diretor do foro da comarca de Guapé, afirmou que a implantação, além de promover a busca da solução mais rápida de conflitos, dissemina a cultura da paz, prevenindo novas controvérsias, reduzindo o tempo de espera e fortalecendo a paz social. Segundo ele, em nossa época, os impasses e os litígios se multiplicaram, o que dificultou a resposta do poder Judiciário e se tornou um fator de angústia e ansiedade para as pessoas.

“O Cejusc prova que o diálogo é a melhor solução. Por meio da conciliação se combate a judicialização, e temos ganhos de economia, eficácia, celeridade, simplicidade e facilidade de acesso, algo essencial numa comarca como Guapé, em que mais da metade da população mora em comunidades rurais. O setor de cidadania poderá fazer essa primeira acolhida, e os setores pré-processual e processual poderão solucionar questões diversas. Assim as partes terão um tratamento mais digno e eficiente”, destacou.

O prefeito de Guapé, Nelson Alves Lara, disse que a comarca ficou quase dez anos sem juiz titular, e que o sentimento atual é de gratidão ao juiz Talvaro Possamai, que está desenvolvendo um trabalho excelente na região.

“Os processos estão andando, e a população mais humilde é a beneficiada com esse movimento. Por isso, asseguro que o Executivo e o Legislativo querem ajudar no que puderem e caminhar juntos com o Judiciário”, disse.

A vereadora Elizabeth Florêncio, presidente da Câmara Municipal, também ressaltou que se trata de um “momento de glória” para Guapé, porque quem mais sofre e mais precisa do socorro da Justiça são as pessoas mais simples.

“Será um espaço de grande valia, pois a população tem pouco acesso, e no Cejusc a Justiça é feita com mais rapidez. Esse fato é de suma importância para nossa cidade, tão sacrificada”, afirmou.

O presidente da subseção local da OAB/MG, Nilton José Carvalho, reportou que os advogados estão “muito satisfeitos com a unidade e totalmente dispostos” a ajudar na difusão dessa ferramenta valiosa, que contribui para o desenvolvimento da comarca.

“Agradecemos ao TJMG e ao juiz Talvaro Possamai, que tem sido não só um julgador, mas um pacificador em Guapé”, disse.

Jacuí

A prefeita de Jacuí, Maria Conceição dos Reis Pereira, celebrou, igualmente, a chegada do Centro Judiciário. “É um prazer presenciar este evento, tão importante para atender aos cidadãos. Somos muito gratos à Justiça e ao MPMG, e estamos à disposição para parcerias e projetos”, afirmou. Adenilson Queiroz, prefeito de Fortaleza de Minas, declarou que o instrumento de pacificação é um ganho muito grande para a comunidade. “Somos atendidos pelo Fórum de Jacuí, e esta é uma ferramenta que vai ajudar a todos”, disse.