Destaques Do Leitor

Teste de fogo

13 de novembro de 2020

O novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Kassio Nunes Marques – indicado por Jair Bolsonaro para a vaga –, vai julgar Flávio Bolsonaro sobre o foro privilegiado e em qual instância 01 será julgado pelas rachadinhas. Afinal, como o ministro entrou pela porta da frente no tribunal, os brasileiros de bem saberão, realmente, qual o grau de gratidão que ele tem com a famiglia Bolsonaro. Agora é só aguardar.

Júlio Roberto Ayres Brisola – São Paulo/SP


Que presidente é este?

O presidente Jair Cloroquina Bolsonaro considerou que ganhou com a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de suspender os testes realizados pelo Instituto Butantan com a vacina da Sinovac contra a covid-19, apesar de a referida agência ter sido notificada de que o falecimento do voluntário não ter sido causado pelo vírus. Que presidente é este, que comemora o atraso, pelo jeito não justificado, do trabalho sério do Instituto Butantan para assegurar uma vacina para todos os brasileiros? Estes têm razões de sobra para não reeleger um presidente que torce contra a possível saída do País desta situação desastrosa, tanto de saúde pública como econômica!

Omar El Seoud – São Paulo/SP


Medidas de segurança

Nesta semana, o número médio de contágio em Belo Horizonte voltou para o estado de alerta, segundo o balanço divulgado pela prefeitura. Cada vez mais a vida tem voltado ao normal em diversas áreas da sociedade, com a reabertura do comércio, dos espaços culturais, o retorno ao trabalho presencial em muitas empresas, entre outros. A partir disso, é preciso que a prefeitura se mantenha alerta e continue promovendo políticas de incentivo ao cumprimento das medidas de segurança, como uso de máscaras em locais públicos, uso do álcool em gel e a verificação de temperatura, além do isolamento social, para que assim o controle da pandemia seja possível e os números não voltem a ficar em estado alarmante, exigindo, assim, o fechamento do comércio e outras medidas mais intensas que já se tornaram insustentáveis.

Eduardo Martins – Belo Horizonte/MG