Destaques Moda

Sucesso online

27 de abril de 2020

O coronavírus vai moldando o mundo futuro. Na moda, a transformação tem sido enorme e os dados comprovam isso. As vendas online, por exemplo, cresceram exponencialmente e garantiram o caixa de varejistas de peso – além de promover o aculturamento do consumidor em relação ao assunto. Quem compra, agora o faz pela web e quer receber em casa.

Segundo os varejistas, as lojas físicas serão transformadas em ‘experiências’ para o consumidor, enquanto o e-commerce será uma ‘conveniência’. Na onda atual da pandemia, lojas como a Nestshoes e Centauro tiveram as vendas pela internet aumentando quase 3.000%.

Outra que multiplicou suas vendas nesse período, foi a Riachuelo, justificando os altos investimentos (no ano passado) para agilizar as operações online da empresa. Além da comodidade e proteção antiviral, valeram também os ótimos descontos nos preços dos produtos – ponto comum de todos os ‘cases’ de sucesso de vendas nessa fase coronavirus.

VAIVÉM

O circuito da moda internacional, ao que tudo indica, já bateu o martelo e vai mostrar seus lançamentos do segundo semestre apenas pelas redes sociais. Além dos desfiles virtuais, também informações adicionais sobre as coleções – com narrativas que incentivem das vendas. É um teste de bilhões de euros.

No circuito nacional, tudo indica que a maioria vai lançar através das ‘lives’ que incluem fashionshow, contatos diretos com os compradores e muito mais. A tentativa de se fazer assim já foi experimentada há algum tempo, mas só agora, com o susto do coronavirus, a coisa parece se consolidar.

PONTO FINAL

Na avaliação dos lojistas e donos de confecções, embora tudo isso, a ruptura com o sistema tradicional de lançamentos e vendas não será total.

A maioria quer que os salões de moda e feiras sejam mantidos por mais algum tempo. Sinal de que a Minas Trend, programada para outubro, ganha fôlego. Amém!